Sexo oral entre gays

0Quando o assunto é sexo oral, existem gays e gays.

Os primeiros, fazemos questão de esquecer. Fazem um boquete burocrático, sem entusiasmo. Tudo o que podem nos deixar é uma sensação de tristeza profunda.

Mas os outros, ah, os outros! O prazer que eles nos dão permanece por dias, inclusive fisicamente, formigando debaixo da pele. As lembranças, inesquecíveis. São boqueteiros natos.

O que faz a diferença? Não é tanto a técnica, mas a atitude.

Eu tenho várias lembranças do sexo oral. A primeira vez que eu tive contato com um cacete foi aos treze anos. A coisa foi meio que forçada. Um professor subiu numa escada no palco do teatro da escola e encostou a rola na minha mão que segurava a escada. Dalí para trás das cortinas foi um pulo. Depois foi o pênis pra fora da calça, o clássico apalpamento para identificar o volume e cair de boca foi tão natural, até o gozo prazeroso do parceiro.

Esse meu relato não me constrange porque eu presumo que numa relação entre dois homens, o sexo oral é tão natural quando um beijo. Guardadas as devidas proporções, é claro!

Um amigo diz que não gosta de anal porque teve trauma na adolescência e toda vez que surgiu a oportunidade ele recuou, porque na sua mente o sexo anal era sinônimo de dor. Daí ele orientou sua vida para a prática do sexo oral, se eximindo de qualquer culpa e deixando claro aos parceiros que praticava apenas oral.

Essa aversão ao sexo anal pode influenciar em relações mais estáveis, mas não é um problema quando se completa o ato sexual com outras técnicas.

Pesquisa americana mostra que a revolução sexual do século 21, aponta o sexo oral como uma atividade mais comum entre gays jovens. Embora o sexo oral não seja uma prática desejada por muitos, vem se tornando uma parte importante das relações sexuais.

O sexo oral é associado às emoções positivas. Isso sugere que os gays vêm manifestando esse comportamento não só para agradar o parceiro, mas sim porque gostam. Dizem até que essa atividade dá uma sensação de poder, não ao receptor e sim ao agente executor do boquete.

Desde a minha adolescência eu sempre imaginei que o sexo oral era um complemento da relação sexual, como uma das ferramentas preliminares do sexo. Meu conceito mudou lá pelos trinta anos, quando conheci um homem grisalho e casado.

Nós tivemos uma relação que durou quase um ano e durante nossos encontros semanais, invariavelmente, em motéis, o meu parceiro não via a hora de me chupar. Ele se satisfazia e ficava horas fazendo um boquete até o meu gozo. Também gostava de se masturbar chupando o meu cacete.

Numa tarde eu perguntei o porquê de todo aquele tesão em fazer oral e a resposta foi simples: O falo me enlouquece.

Depois vieram outras explicações: Eu adoro um cacete, mas não gosto de ser penetrado. Quando imagino o cacete, ele se apresenta de todas as formas, cheiros e tonalidades. Gosto de usar os lábios e a língua, às vezes com mais suavidade e em outras com mais firmeza.

Recordo-me que naqueles fins de tarde eu tive aulas completas sobre sexo oral, com todas as situações possíveis, tanto do ponto de vista de quem faz quanto de quem recebe – O coroa era um profissional do sexo oral, porque além de todas as técnicas ele tinha atitude.

Sexo oral também pressupõe a imagem do falo e remete à simbologia dada às representações da imagem de um pênis ereto. A prática do sexo oral pressupõe o pênis duro onde se aplica todas as técnicas com os lábios e a língua. Há quem use os dentes, mas ai é outra história. Sexo oral com dor. E acredite: tem quem goste.

Há que se considerar também, o preconceito de muitos gays quando este assunto vem à tona, porque sexo oral também pressupõe higiene e DSTs, ou porque, principalmente os ativos querem somente sexo anal, apesar de existirem muitos ativos que gostam de fazer oral.

Conheço gays ativos que devido à idade avançada e à disfunção erétil, fazem sexo oral numa boa, como forma de proporcionar prazer ao parceiro. Também, o clássico 69, é praticado por gays de todas as idades.

Um ótimo final de semana!

Sobre Regis

57 anos de idade, residente na cidade de São Paulo

Publicado em 25/09/2015, em Sexo e marcado como . Adicione o link aos favoritos. 24 Comentários.

  1. Josué Martins

    Olá
    Tenho 22 anos meu marido rs tem 58.
    Ambos amamos fazer um sexo oral, amamos chupar a rola um do outro mas confesso por várias vezes já gozei chupando a rola do meu parceiro, o prazer que sinto não tem como explicar
    Quando vejo, sinto ele no êxtase não aguento o gooozoo de prazer rsrs
    Sexo oral pra mim é uma forma de mostrar carinho,afeto, amor
    Sei lá rs
    Amo meu coroa e amo fazer ele feliz

  2. coroasmaduros

    Fazer sexo oral e receber de um coroa é tudo de bom

  3. Olá, Régis. Parabéns pelo blog e demais canais. É importante ler a opinião de um homem maduro sobre a homossexualidade.

    Alguma publicação sobre o mundo das saunas? Recomenda alguma típica de grisalhos em SP?

    • Pedro,
      Faça busca no blog com a palavra SAUNA, tem um artigo publicado em 2010.
      Não frequento sauna há mais de vinte anos, portanto, não posso te recomendar.
      abraço,

  4. Nossa, Regis, que post instigante! Concordo com você quando diz que, “Quando o assunto é sexo oral, existem gays e gays”. Acho que técnica e atitude têm que andar lado a lado para um bom boquete! Concordo também quando diz que, “numa relação entre dois homens, o sexo oral é tão natural quanto um beijo”. Lógico que muitos de nós não dispensa um anal, mas, de acordo como o oral for feito, só ele pode satisfazer mais que em conjunto com o anal, pois o oral pode ser tão bem feito, que não queremos mais nada, e assim gozamos com todo gosto do mundo, sem aquela sensação de “faltar alguma coisa”! E é por isso que falo da associação entre técnica e atitude. Sabe? Há pouco tempo me descobri ativo, mas, ainda assim, não dispenso um bom sexo oral no meu parceiro! E aí a afinidade é tudo, pois sei exatamente do que ele gosta e não gosta no sexo oral. Olha, com um sexo oral bem feito, acho que não precisa de mais nada! Quanto ao anal, pode ficar para depois, em outra situação. Por que não?

  5. Gostei do texto Regis! Eu também comecei a vida sexual com o sexo oral. Era adolescente e tinha um “amigo” com o qual conversávamos sacanagem sem nunca ter feito nada. Até que um dia, falando essas sacanagens, nós resolvemos nos chupar. Ele começou, depois foi a minha vez. Ele tinha um cacete bem grosso e foi tudo muito intenso, porque meus desejos ficaram tanto tempo reprimidos que eu gozei rapidamente depois de algumas mamadas. Ou seja, gozei só pelo fato de estar com um pau na minha boca, nem precisei bater punheta tamanho era o meu tesão acumulado.
    Eu também não consigo ver o boquete apenas como como uma preliminar ou como uma maneira de dar prazer ao parceiro. Pelo contrário, sinto um prazer absurdo fazendo. E o engraçado é que quando eu era mais novo, eu era mais versátil no sexo. Hoje em dia eu prefiro ser apenas ativo, em compensação o prazer pelo sexo oral aumentou.
    E dependendo do pau, eu confesso que fico bem voraz…rs.
    Abração!

  6. Regis.
    Futuramente vou escrever um livro de romance gay. Ja tenho muitas idéias. Mas essas idéia não seriam totalmente perfeitas se esse blog não existisse. Eu agradeço pela sua iniciativa de cria-lo e parabenizo você pela qualidade dos posts. Obrigado.
    E quando terminar o livro vou entrar em contato com você e pedir para que leia meu livro, se você quiser e claro.
    Abraço.

  7. Acho que sexo oral é a melhor forma de demonstrar o quanto nós desejamos nosso parceiro. E se a pessoa engolir o sêmen é melhor ainda rss.

  8. sergiobarros55

    Gostei da coisa de encarar sexo oral não como uma preliminar apenas. Quando comecei a procurar sexo com homens, comecei pelo sexo oral. Me dava, e me da, um enorme prazer. Muitos que são apenas ativos também apreciam muito fazer o boquete. Engraçado, eu, de início, julgava que gostava porque era uma forma de me sentir viado passivo. Mas depois vi que eu apenas gostava.

    Continuo apreciando mais o sexo anal. Se tiver de escolher entre os dois, prefiro dar a bunda mesmo. Mas, quando acontece do parceiro querer apenas ser chupado, não fico frustrado…

  9. tem que ter técnica…uma boa técnica…quem sabe fazer bem feito, sabe do que minha boca esta querendo dizer..rssss

  10. Gente, adoro uma boca nervosa chupando até gozarrrr. Fiquei excitado lendo isso.

  11. Pois é, blogueiro Regis. Quem já não fez um 69 caprichado na vida??????

  12. 69 é bão dimais!

  13. Amo fazer sexo oral ainda mas se for em coroas e homens maduros !!!!!

  14. Eu adoro fazer sexo oral no meu parceiro. Apenas que tenho que tomar cuidado, pois se ele goza, fico sem ter o sexo anal..rsssss

  15. Pedro alves

    É realmente delicioso receber um bom boquete. Lembrando sempre que o uso do preservativo é fundamental.

  16. Eu amo de paixão fazer sexo oral!
    desde o primeiro coroa que conheci, fiz sexo oral, me da muito prazer, e todos que fiz disseram que faço muito gostoso!
    isso me instiga ainda mais. Para mim isso é quase automático, rsrs…

  17. Adoro receber e dar sexo oral. Realmente, concordo com ter atitude. É tudo.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: