Por onde andam os gays maduros e idosos?

200_biggest_issues.imgcache.rev1300477104955.webEntra ano e sai ano e este assunto sempre vem à tona. Afinal, onde estão os gays maduros e idosos?
Recebo dezenas de e-mails de leitores do blog e do Facebook preocupados com a constatação de que não é fácil encontrar os gays da melhor idade, principalmente, para relacionamentos estáveis.

Um leitor de Curitiba disse que há cinco anos não sabe o que é relação sexual com um gay maduro e que já perdeu as esperanças. Outro de Belo Horizonte vive sozinho há mais de dez anos.

As dificuldades sempre existiram e todo jovem que gosta de homens mais velhos sabe que encontrar um não é tarefa fácil. Se os encontros ocorrem nos guetos são raras as possibilidades da relação ser estável, porque a troca de parceiros é uma constante nesses ambientes.

Outro leitor encontrou um homem maduro e a relação durou apenas vinte dias. Ele descobriu que o mais velho gostava de variar de parceiros e não queria nenhum compromisso – Isso é comum.

Mas voltando ao assunto em questão, então, por que parece que os gays, mais velhos, desaparecem? A resposta é simples, mas talvez não pensamos a respeito: depois de uma certa idade, que varia bastante de indivíduo para indivíduo, o maduro não precisa contar mais para o mundo que é gay!

Não precisa de auto afirmação e nem viver experiências na comunidade, não precisa vestir roupas justas e ostentar os músculos na balada e também porque muitos aprendem, definitivamente, que ser gay é só um detalhe.

Viver na comunidade não é uma condição definitiva para quem é homossexual. Posso estar com meu namorado num hotel fazenda no interior de São Paulo, numa lanchonete do meu bairro ou em férias no nordeste do Brasil. Posso estar num churrasco de aniversário no final de semana ou num almoço em família na casa dos meus irmãos. À medida que envelhecemos aprendemos mais sobre o poder da mobilidade.

Mas enquanto jovens uma grande maioria que tem acesso, vai querer viver o meio gay, os hábitos e costumes. Pura necessidade de reconhecimento, necessidade de respirar juventude, de experiências, sexo, de ver e ser visto.

Por pouco tempo ou por longos anos, respirar o gueto não diz respeito apenas à identificação, identidade ou autonomia. Diz respeito a uma tentativa de preservar-se jovem, e isso se aplica perfeitamente em todos os meios, gays ou heterossexuais. Mas é só uma tentativa por que não tem como brigar com o tempo.

Outro dia um amigo disse que os homens quando envelhecem saem dos guetos por mera questão de rejeição dos mais jovens. Isso é fato!

Bem ou mal as coisas mudam e o envelhecimento traz novas descobertas e novos medos. Alguns sofrem mais, outros menos, alguns jovens e outros já adultos projetam-se em desespero quando velhos, sentindo aquele vazio e o sentimento de que o tempo passou.
Mas, de fato, viver cada momento com respeito e conformidade é o que pode lançar um pouco de purpurina ou brilho por toda a vida. Uma das poucas influências que não há como ir contra, chama-se tempo.

Essa situação de “desaparecimento”, também, tem a ver com o mundo atual. As tecnologias isolam os seres humanos. Os guetos estão esvaziados, as saunas sobrevivem dos habitues e os cinemas de pegação são túmulos que abrigam ladrões e michês.

Há que se considerar que os gays da atualidade, independente da idade, estão inseridos numa sociedade menos repressora, consequentemente, estão ocupando todos os espaços públicos.

Apesar das facilidades do anonimato, os encontros via Internet além de perigosos são superficiais, salvo raras exceções e os mais velhos usam essa ferramenta para paqueras e encontros, o que os condiciona ao isolamento social. Outro fator que gera isolamento e o sumiço é a velhice em si, pois a sociedade brasileira não tem nenhum cuidado com os seus idosos.

Sobre Regis

57 anos de idade, residente na cidade de São Paulo

Publicado em 14/01/2015, em Comportamento, Opinião, Relacionamento, Sociedade e marcado como , , , , . Adicione o link aos favoritos. 17 Comentários.

  1. Regis, você é incrível, vê os dois lados da idade.Gostaria muito de sentar com você e te ouvir. Tenho 38 anos, atração imensa por senhores acima de 70. Aqui em BH não rola nada, com isso, me identifiquei com SP. Uma vez por mês vou a SP que é onde tenho minhas fantasias realizadas, mesmo que por momentos. Minha ilusão sempre foi encontrar um senhor e viver por ele, cuidar e ser cuidado. Passou, não acredito mais. Me adaptei a ser feliz só. Tenho um bom emprego, viajo muito e sou feliz assim. Percebi que, enquanto eu procurava e não encontrava, eu me perdia. Vivo só sim Senhor!!! mas, não estou mais nem um pouco incomodado com isso. Neste momento que escrevo, estou em casa, tomo um vinho, ouço minhas italianas que adoro e faço meu almoço com muito prazer. Decidi escrever para deixar uma dica para os leitores do portal. Não se percam nesta busca eterna, se encontrem!!!. Forte abraço querido, quero um dia te ver e te abraçar aí em sampa. eres incrível…. baci a tutti…

    • Eduardo,
      Obrigado por seus comentários. O registro da sua opinião e visão da vida, contribui para enriquecer o conteúdo do blog.
      abraço,

  2. REGIS, PERDÃO!!!
    Peço um bilhão de desculpas. Não acho seu Blog, um bloguizinho, tanto que o leio com interesse e por prazer. O considero inteligente, bonito ( rola um tesão enorme da minha parte), o problema é que sou estourado e como minha mensagem não apareceu, achei que vc a havia censurado; ai para sacaneá-lo disse todas essas coisas horríveis. Fiquei tão envergonhado com tudo que disse aqui, que exitei em acessar sua página. Achei que a melhor opção seria simplesmente não entrar mais no grisalhos, mas diante da minha irresponsabilidade para com vc,, tinha que voltar atrás e dar a minha cara à tapa. O seu blog é uma porta de entrada para todos nós, que vivemos no limiar entre a sombra e a luz, não fosse ele, todos nós viveríamos um pouco mais à sombra. Vc escreve MUITO BEM!!!…
    E continue assim, para que possamos ser visualizados.
    RÉGIS, PERDÃO!!!

    Queria neste momento lhe beijar as mãos, mandar-lhe flores, olhar bem no FUNDO DOS SEUS OLHOS e pedir minhas mais sinceras DESCULPAS!!!

    RÉGIS, PERDÃO! RÉGIS, PERDÃO! RÉGIS, PERDÃO! RÉGIS, PERDÃO! RÉGIS, PERDÃO!
    RÉGIS, PERDÃO, RÉGIS, PERDÃO, RÉGIS, PERDÃO! RÉGIS, PERDÃO! RÉGIS, PERDÃO!

    ATT:. Se puder me desculpa!… Estou pedindo com lágrimas nos olhos, errei!

    UM beijo, Abas

    • Abas
      Ops! não precisava tanto, até ruborizei.
      Tá perdoado, aliás, continue participando nos comentários, porque isso motiva a continuidade do blog.
      abraço, Regis

  3. abas brasil

    Sr.Régis, é simplesmente ridícula e mesquinha essa sua atitude de censor. Censurar minhas mensagens e deletá-las do seu “bloguizinho”, é digna dos censores dos regimes ditatoriais. Aliás, doido sou eu, que perco meu tempo lendo seus artigos mal escritos, desprovidos de qualquer laivo de inteligência. É por isso, que as bichas vivem nos guetos, porque são invejosas. Você percebeu que sou um ser acima da média, aí bateu aquela inveja. Sou feliz, bicha. Não vivo sozinho nem correndo atrás de bofes em saunas. SOLITÁRIA!!!… A propósito, vai dar uma volta no arouche, quem sabe…

    • Prezado

      Dá pra explicar melhor essa coisa de censor?
      Os únicos comentários que deleto do blog são anúncios pessoais.
      Aliás, tinha um outro comentário seu pendente do dia 23 de janeiro que foi liberado hoje, pois não fico online nos finais de semana.
      abraço, Regis

  4. Abas brasil

    Estou casado com a mesma pessoa, há 18 anos; nao estamos apaixonados, mas vivemos em paz. O que nos mantém juntos sao as afinidades: somos leitores vorazes, vamos toda semana ao cinema, viajamos e criamos os nossos gatos. Tenho no meu companheiro tudo que nao encontraria numa outra pessoa, já que os maduros que tenho oportunidade de conhecer, sao fúteis, vulgares. Estão muito mais interessados no sexo pelo sexo, que um relacionamento duradouro. Buscam nos jovens maquinas de fazer sexo, descriminam os que nao sao mais tão jovens e nunca pensam em como será o próprio futuro. Se os maduros estão sozinhos ou voltando para dentro do armário, sao eles os seus próprios algozes.

  5. marrieddaddy

    Realmente, esses lindos indivíduos são uma espécie ímpar, não ficarão dando mole por aí até porque a idade lhes conferiu um aprendizado para se protegerem das intempéries sociais. Na rede social, nos sites de ursos, faz-se uma filtragem, logo se tem um contato, um elogio, uma cantada, e aí o watzapp, o telefone e o encontro real. Mesmo casado, conheci senhores maravilhosos em encontros reais também maravilhosos. Cheguei a namorar um da minha idade e ficamos apaixonados até. Mas tive que por um fim, o meu casamento hétero falou mais alto, pelos filhos, pelo compromisso. Fiquei 44 anos no armário. Tomei minha decisão tarde demais. Hoje vivo a vida intensa de pai, mas com o sexo sublimado, principalmente pelo efeito brochante do antidepressivo que tomo agora. Há muito o que se fazer, pelo menos nas grande cidades. Pra mim, não mais, mas para quem é livre, não justifica dizer que não encontra ninguém. Regis, o artigo é ótimo. Parabenizo-lhe, sempre.

  6. Este Portal não tem Whatsapp ?

  7. Marcos Antonio

    Ando a procura de um maduro ou idoso,mas não encontro…os que aparecem nas redes sociais são,predominantemente,novos.
    Quando aparece um velhote é completamente gay,só quer se for ativo pra putaria nada mais…e,pior,fora do meu estado que é do Pará.
    Ufa!estou desistindo,pois não quero baladas e novinhos não me atraem.

  8. Há também o fato de o homem maduro ter vivido relacionamentos e estar desacreditado dessas relações.

  9. fabio coelho

    Poxa como foi esclarecedor esse seu artigo! Muito bom mesmo!! Obrigado!

    • Francisco Romão

      A verdade é que quando somos novos e conhecemos alguém mais velhos nos apaixonamos rápidos, assim foi o meu caso hoje procuro um relacionamento com pessoas da mesma idade ou menos um pouco até que encontro mas tenho medo, pois sofri muito, vivi durante cinco anos com um cara e a minha separação doeu muito, até me pergunto o por que.Mas eu acho o importante é viver os momentos por isso procuro alguém. Sou do Ceará o meu nome é Romão sou professor,vi que no site não há whatsapp. Obrigado!

  10. O que está aí descreve bem os homossexuais maduros. A maioria assumiu para si próprio suas preferências sexuais, muitas vezes numa época em que isto era complicado e, daí, preferiu, por uma miríade de razões, manter-se discreto, E agora, já com uma vida toda de discrição, não tem porque se expor.
    Nem todos estão interessados em um relacionamento fixo e as oportunidades hoje são inúmeras, internet , saunas, sem precisar frequentar o gueto e “assumir” publicamente o que são.

  11. Bacana este artigo. Meu companheiro tem apenas 20 anos e eu 45, estamos juntos a dois anos. Sinceramente eu nunca busquei um homem novo, maduro ou idoso. Para mim o importante é a “química” moral e corporal. Entendo que seja por ai: viver naturalmente um dia de cada vez. Sem sonhos feéricos, nem ilusões de outro mundo. Entendendo que as pessoas são o que são e não o que desejamos que sejam.

  1. Pingback: O gueto como referência aos gays | Grisalhos

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: