Recortes da cena entre gays

generation-gay-raphael-perez-2001Relacionamentos: Após o fim de um caso, não adianta querer “ficar amigos”, porque o lado fragilizado vai fazer de tudo para impedir a felicidade do outro – Há exceções, mas são casos raros.

Amizades: Sim, existem amigos no meio gay, mas amizade pressupõe afinidade, afeto e confiança e esse conjunto não garante amizades verdadeiras porque o hedonismo predomina e a amizade é minada justamente na confiança. E é importante lembrar que se a sua amizade está centrada na busca de segurança, de não sentir-se ameaçado sexualmente, as chances de ter um amigo são reduzidas.

Inveja: É o que não falta no meio, mas há um cuidado a tomar, pois a maioria enxerga o desabafo com amigos como um perigo, pois nas relações a traição ou competição por parceiros são ameaças constantes.

Sexo: A sexualidade é o aspecto central da nossa personalidade por meio da qual nos relacionamos com os outros. A homossexualidade é o aspecto mais conflituoso e controverso, portanto, é aceitar ou aceitar.

Competição: Tai outra coisa que é comum no meio gay. As regras da atração tornam a competição uma coisa selvagem. Não existem regras de conduta, é cada um por si e ai tudo vai por agua abaixo, desde amizades até relacionamentos de longos anos.

Ciúmes: O ciúme também é sinônimo de inveja por denotar sentimento de inferioridade em relação a uma terceira pessoa. Entre gays o ciúme é mais comum do que entre heterossexuais e ocorre principalmente entre casais.

O relato a seguir ocorreu em Portugal.

Manuel, 63 anos, não aceitava que Fernando, de 44, tivesse outros amigos e ameaçou contar pra todo mundo que mantinham uma relação homossexual. Fernando não gostou da ameaça do companheiro e, durante uma discussão, movido por ciúmes, espancou-o até à morte.

Os dois homens mantinham, uma relação homossexual. No entanto, o fato de Fernando ter começado a levar novos amigos para casa não agradou a Manuel, que, numa visita ao companheiro, o ameaçou, dizendo que, caso não deixasse de ver esses amigos, contaria a todos que mantinham um relacionamento amoroso.

De certa forma os gays tornam-se vulneráveis com o passar dos anos, ou, por traumas de relacionamentos ou déficit emocional. A dependência de outra pessoa é fato muito comum, principalmente na velhice e a percepção das perdas torna-se um instrumento que leva as pessoas a cometer atos irracionais e impensados.

Crédito da imagem: Raphael Perez – 2001

Anúncios

Sobre Regis

58 anos de idade, residente na cidade de São Paulo

Publicado em 04/08/2014, em Comportamento, Relacionamento e marcado como , , . Adicione o link aos favoritos. 2 Comentários.

  1. Realmente,como gay,vejo uma imensa dificuldade em relacionamento que no meio hetero é comum.
    Estou sem um simples namoro há mais de um ano.Tive um caso com um senhor,hoje está com 60 anos,que durou uns cinco anos,mas desandou por dois fatores:bebida e traição.
    Como ele não assumia a nossa condição,não que eu exigisse isso perante todos,pois sempre preferi o anonimato,ele estava constantemente bebendo e saindo com outros e outras…
    Hoje estou só a procura de um parceiro maduro e legal,será que encontro?

  2. Olá, dono do blog, (se for uma só pessoa), tenho 24 anos, não sou assumido e queria uma opinião sua (e quem quiser opinar) a respeito de um “relacionamento” q tenho com um homem de 33 anos. Conheci ele num desses app sociais (mais voltados para gays), conversamos, trocamos fotos e gostei muito do tipo físico dele (do tipo bear). Nos encontramos no apartamento dele (ele mora com um tio), e foi muito bom, conversamos um pouco, rolou beijos, abraços, sexo oral mútuo (ficamos nisso umas 2 HORAS…e aí no final, ele disse que no próximo encontro ele queria que eu penetrasse o ânus dele. Na hora eu não disse nada…aí depois, por mensagens pelo celular eu disse que não fazia questão de sexo com penetração (acho que o termo disso é gouinage), daí depois disso já nos encontramos várias vezes, já dormi na cama dele 2 vezes (quando o tio dele viajou), enfim, sinto um tesão muito forte quando estou com ele, e gosto de estar com ele …seja pra conversar, assistir TV etc, e acho que o sentimento é recíproco. Nunca saimos juntos pra lugar nenhum até hoje, já faz uns 3 meses que nos conhecemos, pq acho que tanto eu como ele, somos tímidos e temos medo de alguém próximo descobrir. Enfim, contei essa história toda, pq quero saber de pessoas mais experientes na vida, se essa relação tem futuro, mesmo que ela continue assim, como se fosse uma amizade mesmo. E se algum de vocês conhece um relacionamento assim: SEM SEXO ANAL. Obrigado pelo espaço.
    Um abraço a todos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: