A minha primeira paixão gay

guy_williamsVocê era um garoto gay inteligente e diferente.

Você provavelmente adorava assistir TV, ouvir música ou ver filmes e seriados.

Você tinha um segredo, e seu coração acelerou como um louco quando você descobriu a sua primeira paixão gay!

Isso mesmo, quantos de nós não tivemos uma adolescência repleta de fantasias e fugas para uma realidade que se mostrava cada dia mais traumatizante?

Eu tive várias paixões gays e até os 16 anos todas eram sobre os homens dos seriados da TV. A série Perdidos no Espaço foi bastante emocionante pra mim e o ator Guy Williams no papel do Professor Robinson foi a minha primeira paixão gay.

Eu nunca prestei muita atenção no ator quando fez o seriado Bonanza, mas recordo-me das reprises do seriado A Marca do Zorro. O que causou aquela paixão juvenil foi porque além das calças de corte justa que mostrava o volume do membro entre as pernas, os trajes espaciais dos anos 1960 eram metalizados e andróginos. Mas o que me pegou de jeito era o tipo “paizão” do personagem. Eu não me via como o filho Will Robinson e achava o Dr. Smith uma bichona afetada e neurótica.

Transportar-se para o mundo da fantasia e fugir da realidade pode ocorrer com qualquer pessoa. Hoje eu entendo que as minhas paixões gays da adolescência eram fugas, porque eu não podia contar a ninguém que eu sentia tesão por homens. Aquela fase da minha vida ocorreu entre 1966 e 1968.

Eu gostava de imaginar fazendo sexo com homens maduros que interpretavam os personagens. Eu nunca fui fã daqueles artistas, a minha relação com eles era, exclusivamente, sexuais, porque quando a paixão acabava eu simplesmente não queria mais saber de assistir o filme ou o seriado. Neste caso, a minha mais longa paixão foi Guy Williams e a série Perdidos no Espaço – Durou o tempo necessário de eu encontrar outras coisas mais interessantes pra fazer. Nunca mais tive paixões por personagens de filmes ou seriados e não é o que acontece com muitos gays que vivem por décadas no armário das ilusões.

Quando eu narrei este fato para a minha psicóloga ela disse que isso é normal, principalmente na adolescência, mas não é muito normal na fase adulta. Achar um artista um “gato” faz parte da vida de todas as pessoas, porque transferimos alguns desejos não realizados na vida real para o mundo do imaginário, mas sempre retornamos ao nosso mundo e à nossa vida cotidiana.

Acredito que esse tipo de sentimento possa nascer por personagens que admiramos por suas características psicológicas, por suas características físicas que também podem fazer parte do ideal de beleza em que uma pessoa acredita. Pode nascer por pessoas que entendemos e por quem passamos a sentir alguma compaixão ou por quem poderíamos nos apaixonar de verdade se ela estivesse perfeitamente viva e real na nossa frente.

Gostar de um personagem fictício não é parecer uma pessoa doente, é ter um modelo que tenha as características que se procura em um parceiro ou parceira amorosa, é entender suas próprias preferências e admirar que existam pessoas capazes de captar moldes humanos em personagens de um mundo imaginário, já que a maioria dos personagens que conhecemos, nós podemos encontrar por aí.

E você caro leitor dos GRISALHOS? Já teve ou tem alguma paixão gay por personagens de filmes, TV ou seriados?

Anúncios

Sobre Regis

57 anos de idade, residente na cidade de São Paulo

Publicado em 10/02/2014, em Contos da cidade, Memória, Televisão e marcado como , . Adicione o link aos favoritos. 11 Comentários.

  1. Que site legal, primeira vez que vejo. Meu irmão é gay e temos o mesmo namorado desde os 14 anos, segundo ele, ambos são suas primeiras paixões que viraram amor. Acho muito fofo os dois juntos, hoje estão com 21 anos. Já eu sou uma menina sonhadora e fiquei preocupada quando o autor comentou que se apaixonar na vida adulta por um personagem não é normal, tenho 22 anos e vivo me apaixonando por personagens, não pelos atores, pois sei que eles não tem nada a ver com o papel que interpretam.

  2. Augusto Melres

    Minha paixão de adolescente, que me deixou muito apaixonado, foi o seriado buck rogers, no século 25. Toda vez que via aquele cara com aquela roupa espacial, que era bem colada no corpo, cara eu ficava louco de tesao, por ele, ficava muito excitado, ainda mais que o cara era o tipo de homem que eu gosto grandão, peludão e, gostosao rsrs…, fazer o que não e mesmo, eu era apenas um adolescente, mas acho que foi começo pra me descobrir gay. Ainda hoje penso que estou fazendo amor com esse ator.

  3. Este post fez lembrar minha adolescência. rsrsrs, eu assistia alguns filmes, seriados, novelas… só pela paixão por alguns atores com aquele estilo de machão. Minha irmã tinha uma revista da novela Laços de Família, eu pegava escondido só para masturbar olhando para a foto de José Mayer no papel de Pedro Marcondes Mendes.

  4. Adorava o Humberto Martins em seu começo de carreira no final dos anos 80 e começo dos 90. Ele foi a minha primeira paixão gay e até hj eu o pegaria se aparecesse um dia rs. Na verdade me descobri gay qdo aquele homem totalmente diferente dos padrões de beleza daquela época apareceu. Inumeras vezes imaginava aquele homem aparecendo, me desejando me beijando e é tão bom recordar algo que parece ter sido ontem.

  5. minha primeira masturbação dedicada a alguém, foi pelo ator Tony Curtis, depois me ative nas paixões inconfessáveis com Macister, ursos, Ivanhoé, até com o ( Gengis Kam/Yul Brynner ), cresci e por ser errado e pecaminoso, inviável, comecei a namorar, casei e fui fiel 25 anos, Hetero, meio homofóbico, Pai virtuoso e irrepreensível, até que um dia eis que surge a paixão inconfessável e pecaminosa, no túnel do tempo há quinze anos … fim do casamento, sofrimento pra caramba e menos um no armário.

    • Admiro sua história…….. Não sei o que você passou, mas penso que a maioria dos gays de sua idade, teve que viver no armário para dar satisfação para sociedade, mas vc se libertou… Parabéns pela sua vitória.

      É uma pena que vc seja uma exceção, pois a maioria dos gays coroas que eu abordo, seja no meu dia-a-dia são enrustidos….. eles falam que são casados, têm filhos e as vezes até netos…. já encontrei um cara que se gabou por ser casado há 27 anos e a mulher nunca descobriu, disse não era gay, apenas tinha tara por homens….. um outro me disse que só tinha curiosidade em transar com um homem……..

    • Josue Martins

      caraaamba que tenso em, imagino o sofrimento que foi
      mas do jeito que vc “contou” parece engraçado rs

  6. Na minha infância para adolescência, eu tinha muito tesão, tenho até hoje, mas não tanto, pelo Robert De Niro, Bruce Willis, Harrison Ford e o Mel Gibson……… assistia todos os filmes que passavam na TV com eles, e alugava também. Ah….. mas o Robert De Niro foi sempre o meu favorito desde quando o vi em Bons Companheiros e Cassino.

  7. hahaha pensei que tivesse sido eu o autor dessa matéria. Até os personagens foram os mesmos que eu, também, vivia apaixonado. O único que faltou vc mencionar foi o Christopher Reeve que fez o Superman. Uma paixão avassaladora!!!

  8. L.S., slz-ma

    Sim! Sempre me imaginei paquerando o George Clooney! kkkkkkkk
    Até hoje sempre assisto os filmes dele… mas sei q isso é pura imaginação!
    Mas meu primeiro amor foi mesmo um lindo coroa paulista, até hoje sonho que um dia ele voltará aqui para me buscar e me amar por toda a vida. Eu ainda o amo demais, e talvez um dia eu vá para Sampa somente para encontrá-lo novamente!

  1. Pingback: Memórias da minha juventude gay | Grisalhos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: