Arquivo mensal: agosto 2013

Ser Homossexual ou Ser Gay?

gay_homossexualParece óbvio, mas não é. Pode ter o mesmo significado, mas não é a mesma coisa.

Segundo os estudiosos o termo homossexual passa a ideia de uma coisa negativa porque está vinculado à palavra homossexualismo (doença) usada na medicina até o final dos anos 1970. Por outro lado, o termo gay passa a ideia de jovial e solto. O uso do termo gay inclusive é incentivado por sociólogos, pelo seu caráter positivo e leve, que faz referência ao seu significado do inglês, alegre – saiba mais.

Hoje ser homossexual é impopular e a grande concentração de indivíduos que se auto declaram gays se dá pela maior abertura e visibilidade que a homossexualidade ganhou nos últimos vinte e cinco anos.

Os profissionais de diversas especializações da medicina que tratam pacientes homossexuais procuram usar o termo gay para facilitar o diálogo e assim, criam um vínculo de confiança.

Agências estatais usam a sigla GLS ou LGBT, principalmente em campanhas de prevenção à AIDS, ao mesmo tempo em que incentivam a adesão a uma identidade gay.

Recentemente uma notícia veiculada numa rede de TV mostrou o repórter usando naturalmente a palavra gay para noticiar a união entre pessoas do mesmo sexo.

Na empresa onde eu trabalho frequentemente ouço conversas nos corredores. Ninguém fala: Eu acho que o fulano é homossexual e sim: Eu acho que o fulano é gay.

Não falamos: Eu vou à Parada Homossexual.

Casamento gay ou casamento homossexual?

A Boate, Sauna, Bar ou Point. Homossexual ou gay?

A sigla usada pelos movimentos homossexuais é LGBT e não LHBT. Alguns movimentos ou grupos são diretos, como o GGB – Grupo Gay da Bahia e o Gayvota no Maranhão.

Nas artes, música, cinema, literatura, pintura ou poesia, todas as referências homoeróticas sempre são associadas ao termo gay.

Qualquer coisa que se faz é voltada ao público gay e não ao público homossexual.

Gay não é modismo, mas uma transformação social, um balaio onde a diversidade recebe todos de braços abertos. Os entendidos, as bibas, travestis, monas, ursos ou daddies. Os transexuais não entram no balaio porque o termo homossexual está relacionado à orientação sexual – Até as lésbicas estão se autodenominando gays e muitos bissexuais assumem-se gays. Os homens mais velhos e idosos também estão aderindo ao americanismo e hoje estão sendo identificados como gays idosos.

Ser gay passou a ser uma identidade coletiva forte, pois com o passar do tempo pode-se verificar que cada vez mais aumenta o número de grupos que sofrem com o preconceito, bem como, suas formas de atuação, sendo cada vez mais valorizados os discursos que falam em respeito às diferenças e à diversidade, promovido por esses mesmos movimentos sociais e políticos que defendem nossos interesses, atuando para que se diminua a discriminação e a intolerância, e nesse sentido o reforço da identidade coletiva surge como uma importante ferramenta defensiva de todos os grupos de homossexuais.

No entanto, no caso dos homossexuais, através do histórico pelo qual passamos aliado à recente luta por visibilidade, é possível perceber que essa identidade homossexual ganha espaço, podendo-se dizer que os gays se encaixam no chamado “campo social”, pois entre os gays encontram-se verdadeiras famílias, tendo elas seus espaços de vivência, também definidas como “regiões morais”, ainda, seus conjuntos simbólicos, e ao mesmo tempo mediados por significados culturais sobre sexualidade.

Um conhecido disse: Se for para ser descoberto, quero ser identificado como gay e não como homossexual.

Aqueles que estão saindo do armário dizem: Eu sou gay! Os pais, parentes ou amigos perguntam: Você é gay?

A identidade coletiva gay trouxe uma gama de símbolos que são reconhecidos pela maioria dos heterossexuais, devido à veiculação em todas as mídias, e por fazer parte do dia a dia de muitas pessoas em todos os cantos do Brasil e do mundo

No nordeste até o boiola caiu em desuso e viado faz parte do dicionário dos sexagenários.

Encontrei esta na Internet: Já existia esse tanto de homossexuais ou virou modinha ser gay?

Ser gay é fazer parte de uma nova ordem, social, política e religiosa (igrejas inclusivas) de uma minoria que ganhou visibilidade, mas ainda faltam leis e o respeito à diversidade.

A igreja católica que sempre condenou os homossexuais à fogueira, agora usa discursos moderados.

O Papa Francisco falou sobre gays e foi manchete em todo o mundo. “Os gays não devem ser julgados ou marginalizados”.

Perguntado sobre lobby gay na igreja ele disse: Até agora não encontrei ninguém no Vaticano com uma carteira de identidade que diga “gay”.

Já os evangélicos e falsos profetas do apocalipse associam os gays ao demônio e usam a identidade coletiva dos gays para ganhar dinheiro e arregimentar mais fiéis.

Os Felicianos, Malafaias e Bolsonaros da vida usam os gays para os seus interesses políticos, além da autopromoção da imagem pessoal, porque sabem que a identidade gay é forte e isso gera muitos dividendos.

Ser gay não é fashion ou moda passageira, mas um coletivo  que veio para ficar – Leia Teoria Queer.

Leia também:

Você é gay ou homossexual?

Anúncios

Literatura gay em ebook

index_ebooksRecentemente eu recebi um e-mail do João Máximo da  INDEX ebooks divulgando o trabalho da editora. Eu solicitei ao João algumas informações para publicar este post, para trazer aos leitores do blog informações sobre essa nova forma de leitura por intermédio dos livros eletrônicos.

INDEX ebooks é uma editora especializada em ebooks de literatura gay em língua portuguesa a preços low-cost. A publicação de novas obras de literatura gay por autores portugueses, brasileiros ou de outros países de expressão portuguesa é muito reduzida, tal como a reedição de obras esgotadas.

O nome da editora faz uma referência irónica à Lista de Livros Proibidos da Igreja Católica, o Index Librorvm Prohibitorvm, uma lista de publicações proibidas, os “livros perniciosos”, criada em 1559 no Concílio de Trento, administrada pela Inquisição, ou Santo Ofício.

A INDEX está focada em facilitar a todos os leitores o acesso a este acervo de obras. Por isso eles mantêm os custos em patamares tão baixos quanto possíveis. A editora usa conteúdos de domínio público ou com licenças de uso livre.

Portanto, se você gosta de literatura gay pode baixar os livros, tanto nos sistemas do Ipad como para Android via Readers Hub e se você já tem o leitor de ebooks instalado basta procurar por index ebooks, escolher o título e fazer o download.

A editora também oferece serviços de edição de ebooks a novos autores e escritores de literatura gay ou homoerótica.

Se você é escritor e autor de obras com temática LGBT pode ter as suas obras editadas para ebook e o melhor de tudo, você pode usar o próprio catálogo da editora que disponibiliza o conteúdo para ser baixado gratuitamente ou vendido na Internet.

A seguir um resumo das principais obras já publicadas:

– Dois Mundos, Uma Paixão e Dois Mundos, Um Destino. da saga Dois Mundos, de Pedro Xavier

– é o nº 1 da Apple iBookstore do Brasil (categoria Romance, Grátis)

– é o nº 19 da Amazon Brasil (categorial LGBT, Pagos)

– Elvis sobre a Baía de Guanabara, de Miguel Botelho

– é o nº 2 da Apple iBookstore do Brasil (categoria Ficção, Contos, Grátis)

– Inversão Sexual, o clássico do séc. XIX, de Havelock Ellis, pela primeira vez em edição integral em português.

– é o nº 2 da Apple iBookstore do Brasil (categoria Não Ficção, Grátis)

– é o nº 3 da Amazon Brasil (categorial LGBT, Pagos)

O link da editora é INDEX ebooks

%d blogueiros gostam disto: