Amor bandido e homossexual

amor_homossexual_idosoEra fim de verão na pequena cidade do interior. Mario terminou a regência na missa matinal e foi para casa.

A sua vida era pacata e recheada de atividades sociais. De família tradicional, além de regente ele era cantor lírico e professor de regência e canto. A sua atuação na catedral da cidade era uma marca de competência e sensibilidade. Discreto, culto e elegante, todos o conheciam como referência de gentileza e vida pessoal que privilegiava a deferência para com os amigos e para com seus conhecidos.

Aos setenta e cinco anos, solteiro, ele morava sozinho num sobrado na rua paralela ao largo da matriz. A sua vida secreta era um refugio aos seus íntimos desejos homossexuais. Na busca por prazer e sexo, ele buscava seus parceiros nas esquinas da cidade ou em locais públicos, como praças e banheiros.

Ele não mantinha nenhum relacionamento fixo, mas possuía uma coleção de jovens e belos garotos residentes, principalmente, na periferia da cidade.

Naquele sábado chuvoso e frio, fim de verão, ele preferiu ficar em casa para aproveitar o dia para descansar, pois na semana seguinte a sua agenda cultural tomaria muito do seu tempo.

Após o almoço caiu no sofá para ver televisão, mas antes telefonou para um dos seus amantes e pediu a presença dele na sua casa.

Ao cair da noite o amante chegou e entrou no sobrado sem causar alarde. Por lá ficou mais de duas horas e ao sair por volta das onze da noite, levou o carro do Mario, um Peugeot vermelho, ano 2010.

Na manha de domingo a governanta chegou para preparar o café e encontrou o corpo do Mario caído no chão do quarto. Estava nu, com os pés e os braços amarrados para trás com uma gravata e tinha uma toalha na boca, além de um cinto preso na região do nariz.

Para a polícia o caso foi de latrocínio, roubo seguido de morte, mas o real motivo foi a fragilidade de um senhor idoso, homossexual e indefeso.

Esse foi o triste fim de um homem carismático, alegre e motivador da música lírica entre as gerações mais jovens.

O amor homossexual é algo marginal e isso fascina. A promiscuidade nos acorrenta, aprisiona e mata. A busca por cacetes duros nos cega e nos condiciona a não ver os riscos entregando-nos ao desconhecido. Vida homossexual cercada de belos corpos, bandidos, másculos e sarados que nos proporciona prazer e nos tira a vida.

@@ Conto baseado na história de Mario Luiz, encontrado morto no dia 17 de março de 2013, na cidade de Jundiaí/SP

Anúncios

Sobre Regis

58 anos de idade, residente na cidade de São Paulo

Publicado em 23/03/2013, em Contos da cidade, Polícia e marcado como , . Adicione o link aos favoritos. 2 Comentários.

  1. È… isso é muito comum no nosso meio, o ke mais me preocupa não é envelhecer, de modo
    algum, é fragilização do ser em todos os sentidos, diminui a resistência física, organica e mental e isso me preocupa um pouco.
    Sei o ke acontece com os outros geralmente não serve de nós para exemplo, isso seria para
    um gênio então como não somos, só sentindo na pele mesmo. Um post para nos alertar.
    Foram 75 anos acredito bem vividos, esse senhor viveu intensas emoções, não fikou en-
    cubado no armário viveu,.
    A própria biblia diz:+ ou -assim: a vida se resume em 70 anos ou alguns poucos anos a mais
    depois disso é só canseira e enfado. È isso papa francisco? é um ateu falando.
    desejo a todos los hermanos do blog una feliz pascoa: muito serão os chocolates.
    recheados de 2 ovos= ouro branco, ouro preto, sonho de valsa, serenatas de amor…..
    1 cenoura= um bis(rsrs), um diamante negro, um lacta,chokito(cuidado: HPV), daddys(garoto,
    vovôs mais lindos do mundo).
    e culminando o processo uma latinha de leite…..moça
    doce doce doce a vida é um doce vida e mel……..escorre da boca feito doce, pedaço do céu…..
    Ser feliz é nao ter medo dos próprios sentimentos
    escrever besteiras….
    saber falar de si mesmo
    e ter coragem de ouvir um belo Não
    e ter segurança para receber uma critica mesmo que seja injusta. È por ae……fui

  2. PAULO REGO

    É uma triste verdade de quem busca ser feliz diante de uma sociedade fria e preconceituosa. Por estas e outras é que homens iguais a mim em cima de meus 55 anos sufoco meu tesão com receio do desconhecido.
    Abçs

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: