Arquivo mensal: janeiro 2013

Blog dos grisalhos: quatro anos na web

blog_Estatisticas_2012Puxa vida, como o tempo passou rápido! Semana passada o blog dos grisalhos completou quatro anos.

O blog está perto de atingir um milhão e quatrocentas mil leituras, com média diária de 700 visitantes únicos.

Na imagem aí do lado está o resumo dos últimos 12 meses. É legal ter leitores em Portugal, Estados Unidos, Espanha, Itália e até na Arábia Saudita e Turquia.

A cada aniversário eu faço um balanço com estatísticas, coisas importantes e os fatos marcantes do período.

A seguir os cinco posts mais lidos no ano e que foram publicados em 2012.

  1. Os gays maduros de bigodes
  2. Gays maduros e pegação em parques
  3. Um gay triste e invisível
  4. Histórias de padres amantes
  5. O bom humor dos velhos gays

Eu sempre repito que Isso aqui é um “liquidificador de ideias” e um repositório de pensamentos do momento presente que amanhã será passado, mas que ficará registrado para as futuras gerações. É bom saber que os jovens gays estão interessados na leitura destes escritos.

O blog tem um papel importante para a pesquisa. Estudantes de sociologia, psicologia entre outros buscam informações para os seus trabalhos acadêmicos porque quase não existem publicações sobre a homossexualidade na maturidade e terceira idade.

Os leitores também estão mais participativos e contribuem com opiniões nos comentários dos artigos. Como moderador, eu deleto qualquer escrito pessoal para fins de relacionamento ou paquera via blog – Isso é tão comum que eu dou risadas do conteúdo publicado como “anúncio pessoal”.

Diariamente, recebo e-mail de assuntos particulares. Eu não sou psicólogo, mas os visitantes e leitores buscam orientação, esclarecimentos, apoio e uma palavra de incentivo – Aquela luz no fim do túnel.

As minhas experiências de vida e as experiências de outros gays que me escrevem diariamente contribuem para um conteúdo rico em informações sobre a nossa sexualidade, uma realidade muitas vezes triste, mas sempre com esperança por dias melhores.

Esses e outros incontáveis fatos dos últimos quatro anos me motivam a pesquisar, conversar com pessoas, ouvir histórias e mesmo com erros e acertos trazer ao leitor a minha visão simples sobre a realidade dos gays.

Obrigado por tudo

Regis

O que faz alguém ser homossexual?

gay_na_varanda_chacaraQuando eu estou na chácara sempre tenho muito tempo livre para reflexões sobre a vida e o porque das coisas. Quase nunca eu encontro respostas concretas às minhas aguçadas curiosidades – Isso é próprio dos geminianos.

Sobre o título deste artigo, eu perguntei para alguns internautas e recebi muitas respostas óbvias, algumas incoerentes, mas nenhuma concreta.

  • Sou gay porque Deus quis assim.
  • Eu não nasci gay, eu me tornei gay porque tive decepções amorosas com mulheres;
  • Sou gay porque sempre odiei meu pai e busquei nos homens a falta da figura paterna;
  • Eu sou gay porque minha mãe era super protetora;
  • Sou gay porque durante a gestação a minha mãe desejou ter uma menina;
  • Eu sou gay porque fui molestado sexualmente na infância;
  • Sou gay porque sou filho único;
  • Eu sou gay porque sempre gostei mais de pintos do que de xoxota;
  • Sou gay porque o meu pinto é pequeno;
  • Eu sou gay porque me sinto uma mulher;
  • Sou gay porque sempre gostei de comportamentos depravados;

Essa coleção de justificativas mostra como procuramos culpados para justificar a nossa homossexualidade quando na verdade não existem culpados e não somos culpados de nada.

Muitos estudiosos falam que nascemos com livre-arbítrio e isso é o diferencial dos seres humanos, inclusive, na opção sexual – Eu, particularmente, tenho minhas dúvidas.

Eu já refleti sobre a possibilidade da minha homossexualidade ser uma alteração patológica do meu comportamento, mas não cheguei a nenhuma conclusão definitiva.

Também, já pensei sobre disfunção hormonal, a influência do meio e a genética. Há somente uma certeza: ser homossexual não é nada fácil. A perseguição e a intolerância têm sido o padrão de tratamento para os gays. Assumir a homossexualidade ainda é um passaporte para a rejeição social e familiar.

No ano passado eu li um artigo interessante dos cientistas Ivanka Savic e Per Lindstrom do Instituto Karolinska, da Suécia sobre as diferenças do cérebro dos gays e dos heterossexuais e como essas diferenças podem influenciar na orientação sexual. O estudo é sério e discorre sobre as estruturas cerebrais, volume e o funcionamento dessas estruturas complexas.

Os resultados mostraram que homens heterossexuais e mulheres homossexuais têm características cerebrais semelhantes. Idem, para as mulheres heterossexuais e os homens homossexuais, ou seja, nós homens gays temos os hemisférios cerebrais direito e esquerdo do mesmo tamanho – É como ganhar na loteria e nascer com a estrutura cerebral igual ao das mulheres.

Não é preciso ser um Expert para saber que o cérebro tem papel fundamental sobre nossos comportamentos, crenças e decisões.

@@ Pois é, ganhei na loteria, sou gay e isso não vai mudar!

Eu acredito que um dia a ciência será a redentora de todos os gays, pois se confirmarem a orientação sexual como consequência das estruturas cerebrais, pelo menos justificará uma visão mais tolerante e compreensiva sobre nossas atitudes, vontades, vaidades e fraquezas.

quero-queroEnquanto isso, lá na minha chácara eu continuarei sentado na varanda observando a natureza, os animais, os pássaros e os comportamentos de cuidados, afeto e carinho desses seres que compartilham comigo o mesmo espaço, numa pequena cidade do interior. Observarei com mais atenção um casal de quero-quero, pois ainda não descobri se são macho e fêmea ou se são dois machos ou duas fêmeas – Assim é a natureza!

%d blogueiros gostam disto: