Os gays no mundo heterossexual

Você já parou para pensar que vive quase 100% da sua vida no mundo heterossexual?

Isso não é papo cabeça, mas a constatação do quanto é difícil para qualquer ser humano diferente viver num mundo onde ele não se sente à vontade para realizar os seus sonhos e poder viver rotineiramente a sua vida, mas que no decorrer da vida não existe outra saída a não ser adaptar-se a esse mundo.

O mundo heterossexual é circundado de conceitos religiosos e familiares arcaicos e as novas famílias emolduram um novo conceito baseado no individualismo e nas diferenças. Veja o exemplo a seguir:

Durante o feriado prolongado num hotel em Mangaratiba/RJ, eu pude perceber como os gays vivem no mundo heterossexual.

Lá observei dois casais gays. Um deles bem afetado e outro discreto. Ambos na faixa entre 30 e 50 anos. O hotel estava lotado e durante o café da manhã e as refeições nos cruzamos várias vezes. O mais interessante é que as famílias com crianças não estavam nem ai para esses dois casais, aliás, três porque tenho que me incluir e ao meu companheiro. O  casal mais afetado caminhava de mãos dadas na piscina e na orla da praia, mas não agrediram ninguém com beijos escandalosos, aliás, eu também não percebi beijos públicos entre os heterossexuais, prova do individualismo que citei anteriormente ou o mundo mudou tanto assim?

Hoje é raro ver pessoas abraçadas e aos beijos em locais públicos. Parece que os héteros tem medo da exposição pública. Isso será obra da Internet e redes sociais com a facilidade de tirar fotografias com celular ou Smartphone?

Desde criança o gay sofre preconceito por ser diferente, mas nem por causa disso ele deixa de frequentar a escola. O preconceito e a violência física tem que ser combatidos com “defesa física e moral”, mas uma criança não sabe disso. O gay na infância vive num mundo estranho e fica mais difícil quando ele percebe os primeiros sinais das diferenças.

Na adolescência os preconceitos continuam e ainda mais violentos, tanto no bairro como no colégio e o gay ainda não aprendeu a se defender, salvo raras exceções.

Na fase adulta o gay entra no mercado de trabalho, na faculdade (uma minoria) e ai ele começa a enxergar as diferenças e as primeiras defesas naturais são consolidadas. Na maturidade ele ainda apresenta muitas cicatrizes, mas nem por isso ele deixa de viver a sua vida. Nesta fase a vivência no mundo heterossexual é plena, afinal ele também é um cidadão com todos os direitos e deveres dos demais.

Trabalho gera renda, patrimônio, bens de consumo, gastos do cotidiano, impostos, seguros, saúde, lazer, diversão e tudo isso num mundo heterossexual. Pense numa poupança num banco qualquer, ela ainda não é específica para gays. A sua casa ou apartamento não é gay, nem a TV ou geladeira, as compras no supermercado ou feira livre e os planos de saúde ainda não são segmentos para atender especificamente os gays.

Viagens, hotéis e pousadas já aceitam pacificamente os gays mesmo os afetados porque são consumidores que gastam mais do que os heterossexuais.  Tem ainda o  teatro, cinema, shows e eventos.

Ontem no estádio do Morumbi tinha muitos gays assistindo o jogo de futebol, bem como, em diversos estádios do Brasil, ou você duvida disso? Quantos gays palmeirenses choraram a volta à segunda divisão do futebol brasileiro? Quantos gays tricolores das Laranjeiras gritaram e comemoraram o título brasileiro de 2012?

Hoje uma segunda-feira com cara de feriado nacional, e onde estão os gays? Estão no mundo heterossexual.

Alguns poucos trabalhando, outros estão em casa lendo, descansando ou acessando a Internet. Tem o pessoal que reserva dias como este para fazer suas compras tranquilamente nos supermercados. Mais à tarde os Shopping Centers estarão repletos deles nas filas dos cinemas e nas praças de alimentação. Uma minoria ainda está na estrada indo ou voltando de algum passeio e milhares estão nos parques das cidades e nas praias de todo o Brasil.

Ah, não posso esquecer-me daqueles que estão na cadeia ou agonizando nos leitos dos hospitais , enfim, os gays estão em todos os lugares do mundo heterossexual e era para ser diferente?

Anúncios

Sobre Regis

58 anos de idade, residente na cidade de São Paulo

Publicado em 19/11/2012, em Sociedade e marcado como . Adicione o link aos favoritos. 4 Comentários.

  1. Bem lembrado… não é bom ser minoria. Por isso a maioria dos homens que gostam de sexo com outro homem, prefere ficar enrustido, ter vida dupla. Na minha visão, o número de bissexuais é muito maior que o de homo.

  2. Oi primeiro quero parabenizlalo por este blog, suas máterias são muito boas. Eu tenho hoje 33 anos, descobri minha homosexualidade muito cedo, isto mais o fato de eu ter sido criado no meio religioso cristão, gerou em mim muita luta interna muito grande, porem que eu nunca deixava transparecer…. isso deixou marcas, hoje vejo como eu poderia ter sido ajudado se houvese por exmplo mais informação nas esolas…

    Tenho um companheiro, ha 3 anos, nem eu nem ele somos afeminados, e para a maioria nos apresentamos como irmãos, por nos parecermos muito fisicamente, poucs suspeitam… se alguem pergunta eu posso dizer a verdfade, mas normalmente falo depois de conhecer bem a pessoa.

    Essa regiãoque o senhor citou de Mangaratiba, Itaguai, Serópedica, até nova iguaçu um pouco mais a capital do Rio, são bem tolerante aos homosexuais.
    Achei interessante Quando nos acorda a realidade que vivemos em um mundo, ua sociedade hetera. Mas chego a ter um pouco de receio de que se crie uma sociedade dividida Homo, embora certas coisas façam falta, como canais dirigidos pro nosso publico, ou mesmo uma especialidade médica, não vejo sentido em ter uma poupaça gay, ou outros marcadores como ciou casa, talvez seja só uma visão miupe da minha parte.

    Acredito que temos de nos enteder melhor, em termos de dinamica e definições, por exemplo outro dia vi na teve uma entrevista com um assumido afeminado, em que ele dizia que “naquel noite ele queria um hetero bem machão, nem um bi ou homo, mas um hetero”. Hora o cara que tiver relações com ele pode se outras coisas menos “hetero”, muitos alimentam seu ego e e ainda mais o de bissexuais ou homos que pelo fato de não serem afeminados, não são tidos como homosexuais….

    As vezes convivendo com mulheres percebo o quanto aquele tipo “bicha escrota”‘ faz bem pro ego delas ede seus maridos que saem traquilamente com prceiros sexuais masculinos, não afeminados e imperceptivel como eu… Não raro percebo a confusão feminina quando descobre que um homem com tregeitos galantementes mascoinos, é homosexual… em alguns cursos e Workshop que fiz, percebese que para as mulheres (heteras) o gay é um cara que queria ser ela, isto ua mulher, uma vez que a midia propaga muito os travesti e trans, como sendo a maior parte do mundo gay, quando é só a sereja do bolo, a ponta da montanha. Percebo que nestas mentes elas pensam que em algum momento nos nos travastimos , ou afeminamos, para seu marido que muitas vezes e bi e sai de vez em quando com um discretão, ou tem umamante masculino fixo, é ótimo que ela pensa assim …. duvida do que eu disse , entra em qualquer site de relacionamento, e leia os anúncios para homosexuais a vasta maioria pede “não afeminados”.

    quando a sociedade nos conhecer de verdade, nossos sonhos e desejos, quem somos e como somos, e não só os ativistas das paradas gay, quando tiver noção que milhares de homosexuais nunca frquetaram meios gays, quando souber que somos como eles com sonhos e desejos muito paecidos, que a sexualidade é apenas uma parte de nossas vidas, que como vc disse estamos, por ai somos gerentes medicos, piões , caminhoneiros, doceiros açougueiros, somos pais, amigos irmãos , filhos e filhas , que carregamos valores e principios que pautam nossas vidas, entam teremos voz e vez.

  3. Parabéns! É a realidade do mundo gay… no cotidiano social.

  4. É mesmo, o gay mais parece um camaleão… Eu estava viajando e retornei hoje. Eu estava num mundo totalmente heterossexual (reforçando o que vc disse), pois vi no restaurante da entrada onde parei, 2 policiais rodoviários lindos…. e nada pude fazer a não ser o de me contentar com a minha própria discrição e continuar como se nada tivesse visto…rsssss
    Ahhhhh seu eu fosse mulher……kkkkkkk (digo isso porque era a única maneira de chegar junto).
    Como vc mencionou em gay´s afetados, eu lembrei em dizer aqui que eu admito que eles me incomodam, quando, por exemplo tomo o metrô e eles vão em grupo falando alto, com aquela voz “escandolooooosa” e “cheiiiiiias” de evidências. Não sei ao certo se querem mesmo aparecer ou se querem agredir pessoas como eu, que não curte esses movimentos forçados e não naturais… Sei lá, acho que preciso ver onde eu estou errando para não gostar de presenciar isso…Valeu pela matéria.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: