Turismo sexual e homossexual

Quem viaja por esse mundo como turista sabe da existência de locais de turismo sexual para gays.

No Brasil o turismo sexual predomina nas capitais dos estados da Bahia, Rio de Janeiro, Ceará e mais recentemente no Rio Grande do Norte. Destaque para a  cidade de São Paulo que é um dos principais roteiros do país, face à sua diversidade empresarial e cultural. Por lá existe um leque de opções para todos os gostos e idades. Os executivos, políticos, famosos e endinheirados fazem a festa.

De acordo com conceito da Organização Mundial do Turismo – OMT, o turismo sexual é feito de viagens organizadas com o propósito de se ter relações sexuais comerciais do turista com residente do local de destino.

Hoje se dissemina pelo Brasil o turismo sexual e homossexual regional, através da Parada Gay que ocorre nas principais cidades brasileiras. Os gays de todas as idades e classes sociais se deslocam de suas cidades de origem para as cidades ondem ocorrem os eventos, com a finalidade de se divertir.

Esse evento é uma oportunidade para os gays encontrarem parceiros para o sexo casual e sem compromisso. Muitas situações de relacionamentos acabam se tornando relações estáveis e duradouras, mas isso é minoria.

A cidade do Rio de Janeiro é a capital do turismo sexual e homossexual no Brasil, devido à fama mundial da Cidade Maravilhosa, suas praias, o Carnaval e o Réveillon. Breve, a cidade se tornará o centro mundial das atenções devido à Copa do Mundo e as Olimpíadas. Esses eventos esportivos atrairão turistas gays de todas as partes do mundo.

As cidades de Salvador, Fortaleza e Recife são procuradas por turistas gays, principalmente durante o carnaval. O nordeste é um caso à parte porque sempre foi reconhecido como uma região de turismo sexual para heterossexuais, com a prostituição infantil e que trouxe na rabeira o turista gay em busca de jovens rapazes nordestinos, pobres e carentes.

Nos anos de 1970 eu conheci muitos homossexuais que viajavam para São Francisco na Califórnia, com a finalidade, exclusiva, de fazer turismo sexual, com visitas às famosas saunas e Men’s club – A cidade de São Francisco sempre foi conhecida como a Cidade do Pecado.

Hoje o turismo sexual e homossexual é destaque nas cidades do Canadá, Estados Unidos, Espanha, Itália, Alemanha, Holanda, Grécia, Turquia, Inglaterra, Argentina e México. Até o Japão se abriu ao turismo gay.

Os guetos formados por bares, footing, saunas, hotéis e boates são locais divulgados em qualquer roteiro gay em qualquer lugar do mundo ocidental.

As agências de viagens se especializaram no turismo para gays com ou sem acompanhantes. É uma mina de dinheiro que faz do Pink Money um dos mais cobiçados por empresários e por grandes corporações – É o Mundo Mix!

Por de trás de todas essas maravilhas e promessas de diversão e sexo fácil existe uma realidade que poucos conhecem. A prostituição e dependência de álcool e drogas. Ninguém neste mundinho está imune à tentação de se prostituir ou se drogar, principalmente, se o turista for gringo e trazer muitos dólares ou euros na carteira.

Existem situações anacrônicas.  Às vezes o turista retorna ao local do destino anterior para manter relações sexuais com o mesmo parceiro e isso após um ou dois anos de ausência, porque entre os envolvidos ficou o compromisso e a falsa promessa de fidelidade e amor.

Como diz um amigo: Tudo é sexo!

Neste cenário do turismo sexual e homossexual, os gays maduros e idosos são maioria  devido à sua condição financeira. Se você reside num lugar de turismo sexual preste atenção à sua volta e você perceberá gays maduros circulando à procura de sexo e aventura.

Eu vi isso pessoalmente na minha última viagem para Natal/RN. Eu e meu companheiro saímos para jantar num restaurante da praia de Ponta Negra e lá vimos um gringo de meia idade acompanhado por dois jovens da cidade. O inusitado neste fato é que o gringo não entendia nenhuma palavra de português e percebemos que ele falava alemão.

Como diz outro amigo: o sexo é compreendido em qualquer lugar do mundo porque o gemido não tem idioma.

Em minha opinião, o turismo sexual homossexual é ótimo para o turista porque dá a oportunidade de viver relações sexuais plenas e sem infidelidade ou inveja e onde atração física e o desejo prevalecem. O que vier depois da relação sexual é lucro!

Já o residente local ganha experiência, algum dinheiro e em muitos casos, a oportunidade de decolar para uma vida melhor, seja pessoal ou profissional. Também, é certo e óbvio que a maioria é apenas mercadoria sexual nas mãos dos turistas, mas isso é outra história.

Destaco também a pedofilia inserida no contexto do turismo sexual e homossexual, como um processo insano – Aos pedófilos de plantão o meu repúdio.

Este artigo complementa o post Uma louca paixão homossexual, publicado no dia 05 de outubro de 2012.

Anúncios

Sobre Regis

57 anos de idade, residente na cidade de São Paulo

Publicado em 23/10/2012, em Consumo, Turismo e marcado como , . Adicione o link aos favoritos. 2 Comentários.

  1. paulo azevedo chaves

    Seria um serviço de utilidade pública gay a informação sobre alguns points de encontro em nossas principais capitais gaysno sudeste e nordeste. Assim o turista — que em geral não se demora muito em cada cidade — não perderia tanto tempo buscando os endereços certos e confiáveis, por exemplo, endereços de saunas e bares. Aqui fica a sugestão.

  2. francisco alberto oliveira

    Isso acontece no mundo toduuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuu, � normal,

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: