União poliafetiva entre gays

Você nunca ouviu falar? Pois é, isso existe e é cada dia mais comum.

José Marcos tem cinquenta anos e há quatro anos conheceu Adamastor, 38. Eles vivem juntos num confortável apartamento na cidade de Florianópolis/SC.

A convivência sempre foi tranquila, pois, ambos gostam das mesmas coisas, as mesmas músicas, as mesmas obras literárias e os mesmos roteiros de viagem.

Na família tem um cãozinho chamado “Xuxu” que sempre faz o papel de filho adotivo do casal. Numa das andanças por praças e parques da cidade, Xuxu se enfiou debaixo do banco de uma praça atrás de uma cadelinha chamada Flor. Os dois se engalfinharam sob o banco e Adamastor foi fisgado pelo homem grisalho que estava sentado fazendo mimos na sua cadela de estimação.

Foi amor à primeira vista, não entre os cãozinhos, mas entre os seus donos. Durante um mês Adamastor saia todas as manhãs para encontrar Juliano, homem grisalho de sessenta anos, viúvo, pai de dois filhos e três netos.

O primeiro contato sexual aconteceu na casa de Juliano e durante algum tempo eles viveram uma aventura secreta e perigosa às escondidas de José Marcos que era possessivo e dominador.

Juliano era bissexual e sempre gostou de homens, mas depois da morte da esposa optou por ficar sozinho cuidando da cadelinha Flor que era a paixão da companheira falecida.

O tempo passou e José Marcos não percebeu nada de estranho até o dia que foi ao Beira Mar Shopping para levar a Xuxu para um banho e tosa. Não deu outra. Quase trombou com Adamastor e Juliano na fila de espera do Pet Shop enquanto a Flor se sacudia no balcão de tratamento.

José Marcos não ficou surpreso, muito pelo contrário, achou Juliano um tesão de homem. Dali para cama foi questão de horas, entre o fim da tosa e um café expresso na praça de alimentação.

A relação sexual se consumou no apartamento do casal. Adamastor e Juliano cobriram José Marcos de afagos e beijos, igual àquela cena da Sonia Braga cercada por José Wilker e Mauro Mendonça no filme Dona Flor e seus dois maridos.

O sexo fluiu naturalmente entre os três e não houve nenhum conflito de preferencias. Enquanto um chupava, o outro virava de lado, no sexo anal um observava e o outro gemia de prazer. Juliano era o passivo na relação e gostava de ser amarrado à cama. José Marcos gostava dumas pitadas de sadismo e Adamastor preferia os beliscões e banhos de língua excitantes que cobriam os corpos de Juliano e José Mário.

Após longas sessões de sexo o trio de amantes se consolidou na amizade e no prazer sexual. Numa troca de e-mail, eu perguntei ao Adamastor como ele se sente nessa relação e a resposta foi curta e direta: Ambos me completam.

Moral da história: Juliano encontrou os seus dois maridos e a Flor se apaixonou por Xuxu.

Curiosidades:

*** O termo “União poliafetiva” vem sendo usado numa tese de doutorado em direito civil na USP – Universidade de São Paulo

>>> Xuxu ganhou o nome depois que Jose Marcos assistiu ao filme francês Chouchou, cujo titulo brasileiro é Xuxu e que conta a história de um travesti que se apaixona por um rico homem de negócios.

*** A falecida esposa do Juliano chamava-se Florinda e tinha o apelido de Flor. Daí o nome da cadelinha.

>>> Adamastor é um ser mitológico – Ver wikipedia

*** Juliano herdou o nome do pai em homenagem ao Imperador romano Juliano que reinou desde o ano 361 até a sua morte. Foi o último imperador pagão.

>>> José Marcos, este ai é bem brasileiro e herdou o nome porque nasceu na cidade de São José dos Quatro Marcos em Mato Grosso.

Leia também

@@@ Relações gays – acordos, regras e compromissos.

Anúncios

Sobre Regis

58 anos de idade, residente na cidade de São Paulo

Publicado em 17/10/2012, em Contos da cidade e marcado como , . Adicione o link aos favoritos. 2 Comentários.

  1. Possessivo e ciume entre as relações hetero, quase sempre causa conflitos e atritos – nas relações gays é bem mais complicados. Respeito os sentimentos de todos no campo do amor e dos relacionamentos. Gostei muito do post UNIÃO POLIAFETIVA ENTRE GAYS. As realções entre duas pessoas gays ou heteros podem ser um sucesso quando as mesmas tem os mesmos gostos e desejos. Abraço

  2. alex gomes

    Não gosto disso
    Se existe um segundo é porque o primeiro já não serve mais.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: