Pegar ou largar o cara que me atrai?

A vida às vezes nos coloca em situações difíceis. Por exemplo, o filho que se sente atraído pelo padrasto; o irmão que tem tesão no marido, noivo ou namorado da irmã; o rapaz que sente uma vontade irresistível de transar com o amante do amigo… – como reagir diante dessas situações limite e que na verdade são muito comuns no dia a dia das pessoas? Você algum dia já se deparou com um dilema semelhante? Já quis ir pra cama com seu padrasto, cunhado, com o caso de seu amigo mais querido?

Às vezes a cabeça nos manda seguir por um determinado caminho e o coração – ou desejo sexual – nos empurra na direção contrária. Em casos assim, como agir? Dê sua opinião, leitor.Em meados do século XX,  antes mesmo do advento da televisão, havia uma novela radiofônica chamada “O Sombra”, em que o personagem-título, um detetive, com voz cavernosa dizia na abertura do capítulo: “Quem sabe o mal que se esconde nos corações humanos?” E ele próprio respondia em seguida “O Sombra sabe”. Os seres humanos muitas vezes carregam o mal dentro de si e, felizmente para eles, “O Sombra” não está por perto para desmascará-los.

GRISALHOS agora lhe pergunta: você já foi para a cama – ou desejou muito ir para a cama – com seus padrasto sexy, com o noivo gostoso de sua irmã, com o caso boa pinta – ou boa pica… – de seu melhor amigo?

O escritor e jornalista Paulo Azevedo Chaves, nosso colaborador assíduo, não esconde o jogo:  ele se apaixonou, quando tinha cerca de 20 anos, pelo noivo de sua irmã Ana, quatro anos mais jovem que ele e muito bonita. E não hesitou em conquistar o futuro cunhado e ter noites de muito sexo e prazer numa casa na praia de Candeias, na Grande Recife, onde a família do rapaz tinha uma casa de veraneio. Paulo conta que na época tinha uma namorada de mentirinha,Vera, e os quatro costumavam sair juntos nas baladas noturnas recifenses. De madrugada, depois das festas,Paulo  deixava as meninas em casa e ia com o belo Gilberto – este era o nome do “fruto proibido” –, ao volante do carro de seu pai, para Candeias. E segundo ele,transava com o provável  futuro cunhado sem qualquer remorso. Mas esse “amor proibido” não terminou bem: as meninas perceberam que estava rolando algo entre ambos e acabaram os namoros: Paulo ficou sem Vera e Gilberto sem Ana . As madrugadas em Candeias se tornaram mais escassas.  Gilberto – que era bissexual e tinha muito tesão em mulheres – terminou dando o fora em Paulo, que sofreu e chorou muito até se recuperar da perda nos braços de outros bofes no Rio de Janeiro, onde foi morar. “A vida é assim mesmo e os amores têm começo, meio e fim” – diz ele, aos 74 anos, e ainda com saudades do grande amor de sua vida.

Opine, leitor: Paulo agiu bem ou mal corneando a irmã querida com o belo e desejado Gilberto? Sua opinião é muito valorizada por este blog.  O que você  faria em seu lugar?

Crédito da imagem: Robert W. Richards – Ilustrador e artista homoerótico

Anúncios

Sobre Regis

58 anos de idade, residente na cidade de São Paulo

Publicado em 01/10/2012, em Comportamento e marcado como , . Adicione o link aos favoritos. 7 Comentários.

  1. Sou jovem, talvez eu mude de opinião com o tempo. No entanto, hoje, acredito que esse tipo de atitude é feia, suja, tenho um amigo que faz esse tipo de coisa, já debatemos algumas vezes sobre isso, ele diz que não se importa com as consequências, que só quer prazer, eu não gosto, se estivesse no lugar de Paulo, não pensaria duas vezes em NÃO fazer oque ele fez, me colocaria no lugar da irmã, já não sou muito fã de sexo casual, se isso ainda fosse prejudicar outras pessoas então…

  2. Tambem nunca passei vontade, e ate hoje se rolar olhares não fico na duvida, vou pra cima e procuro conferir, sem vulgaridade e sempre muito sutil.

  3. paulo azevedo chaves

    Muito interessante este post. Ele expõe dilemas que são enfrentados sem dúvida por muitos gays. Afinal, ao viver situações como as descritas no post, como se deve agir?
    Seguir o impulso, a emoção e entregar-se à paixão ou obedecer à razão e refrear o desejo,não se entregar ao amor proibido? Quanto a mim, no decurso de minha longa vida, sempre obedeci ao desejo, ao amor, e nunca deixei de transar com quem realmente queria.Paguei um preço?Sem dúvida que sim. Mas essas transgressões valeram a pena e não me arrependo de nenhuma delas.Comprovem isso ao lerem minha autobiografia que brevemente estará disponível na seção LITERATURA deste blog com o título de À SOMBRA DA CASA AZUL.

  4. Na minha juventude, eu morria de tesão pelos meus cunhados, sim, os 5 cunhados. Eu sabia que pelo menos 3 sentiam tesão por mim, mas eu nunca passei do limite, por medo que descobrissem da minha homossexualidade. Naquele tempo, também não sei porque, eu sentia muito tesão pelo meu pai. Claro, não passei esse segredo pra ninguém, mesmo porque nunca aconteceu nada… e nunca dei a entender isso pra ele. (não tínhamos amizade de pai e filho, eramos distantes).

  5. ola adorei este blog afinal curto maduro peludo grisalho

  6. o desenho que esta neste artigo de quem é? achei maravlhoso.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: