Musical: Priscilla, Rainha do Deserto

Nos últimos três anos, sempre na semana do meu aniversário, eu publiquei posts sobre a minha visão de vida e a passagem do tempo – veja no final deste post.

Nesta semana completei 53 anos, muito bem vividos em todos os sentidos. Sou um gay maduro, com saúde e feliz com a minha sexualidade, sem problemas físicos ou psicológicos e vivendo uma relação estável há mais de quatro anos, portanto, o melhor é aproveitar este ciclo porque lá no futuro isso tudo vai mudar.

Em 2011 eu estava num momento delicado por questões de saúde e não tive pique de escrever, mas neste ano eu fui abençoado com um presente maravilhoso que me fez reviver os bons e maravilhosos anos da década de 1980 e que faço questão de compartilhar com todos os leitores do blog dos grisalhos.

O meu presente de aniversário foi um par de ingressos para assistir o musical Priscilla, Rainha do Deserto, simplesmente FANTÁSTICO e INESQUECÍVEL!

Um musical escandalosamente divertido

Priscilla, Rainha do Deserto está em cartaz em São Paulo, no Teatro Bradesco, contando a história de três grandes amigos em uma viagem louca por estradas no deserto da Austrália. Quem assistiu o filme deve saber o enredo da história.

Logo no início da peça, o público vai perceber o brilho, a diversão e o glamour presente em mais de 500 trocas de roupa, figurinos escandalosamente belos, cores e brilhos ofuscantes, luxo e principalmente sucessos musicais que fizeram história e que se mantém firmes até hoje em nossas mentes, como I’ll SurviveIt’s Raining Men e a minha favorita: Charlene – I’ve Never Been To Me.

A música  I say a litthe prayer de Burth Bacharach e Hal David, composta especialmente para Dionne Warwick em 1967, imortalizada também, na voz de Aretha Franklin e Whitney Houston foi para mim uma coisa mágica. Na minha cabeça passou um filme da minha juventude – Emocionante!

Nem sei porque substituíram as músicas do grupo ABBA por músicas da Madonna, talvez por problemas de direitos autorais, mas isso não foi importante. O espetáculo é grandioso em todos os sentidos e não apenas para os gays e drag queens, mas para todas as idades e gêneros. Me surpreendi ao perceber o teatro lotado e com um público jovem, atento e feliz.

Aos gays com mais de 40 anos é um momento único  e se você é jovem não deixe de assistir.

A seguir um trecho da montagem paulistana.

Priscilla, Rainha do Deserto
Site oficial: musicalpriscilla.com.br
Sessões quintas e sextas, às 21h; sábados às 17h e às 21h; domingos, às 16h e às 20h
Teatro Bradesco – Bourbon Shopping – Rua Turiassu, 2100, 3º piso – São Paulo/SP
Duração: 2h30min
Classificação etária: Livre. Menores de 12 anos: permitida a entrada (acompanhados dos pais ou responsáveis legais).

@@ Coisas que a vida ensina depois dos 50 anos

@@@ Coisas que a vida ensina depois dos 51 anos

Anúncios

Sobre Regis

58 anos de idade, residente na cidade de São Paulo

Publicado em 23/06/2012, em Diversão, Música, Opinião, Teatro e marcado como . Adicione o link aos favoritos. 2 Comentários.

  1. Caro blogueiro quinquagenário:: Você é um ser humano generoso, culto e participativo.Fico feliz que esteja se sentindo feliz ao lado de um companheiro estável.E seu presente de aniversário não poderia ter sido melhor. Priscilla, a Rainha do Deserto foi um show de alegria e descontração. A montagem paulista de Priscilla também deve ter as mesmas qualidades e colorido do filme.. Morar numa grande metrópole traz esse tipo de compensação: poder usufruir de uma vida cultural intensa e enriquecedora no dia a dia. Salve Priscilla e sobretudo salve você!!!!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: