Quando o amor vira amizade

O homem é por índole promíscuo enquanto entre as mulheres ocorre justamente o contrário— elas são em geral monógamas. Nesse aspecto, bravos para ela. Os homossexuais masculinos não são diferentes dos heterossexuais. Eles conquistam uma presa, se apaixonam, mas não deixam de ficar atentos aos machos que circulam à sua volta.E se tiverem oportunidade, dão o bote. Vamos ver as coisas como elas realmente são, sem disfarces. Naturalmente, toda regra tem muitas exceções. Existem gays monógamos que fixam numa única pessoa seu interesse sexual e desenvolvem com esse parceiro escolhido um “caso” que pode durar anos de mútuo prazer espiritual e carnal. Mas isso não é muito comum, convenhamos. O que ocorre nas grandes metrópoles, com suas múltiplas tentações eróticas, é que os relacionamentos homoafetivos durem meses, não anos.

Acontece que da convivência constante entre dois homens, que têm um relacionamento amoroso entre si, nasce, em geral, um forte sentimento de amizade entre eles. E a separação, quando o desejo sexual começa a desaparecer ou se extingue por completo, é sempre dolorosa. E esse é o grande drama dos relacionamentos gays – o desejo vai diminuindo aos poucos enquanto a amizade entre os parceiros tende a crescer. O que fazer, então? Nosso colaborador Paulo Azevedo Chaves dá seu depoimento pessoal sobre um relacionamento amoroso  que teve quando já estava com mais de 60 anos.

Na terceira idade, meu último relacionamento gay se prolongou durante pouco mais de um ano . Viviamos em casas separadas, mas Paulinho   me visitava umas três vezes por semana. Ele era bem jovem (28 anos) , pobre e desempregado e naturalmente rolava  um cachê quando a sessão sexual terminava. Com a convivência, o sexo se tornou cada vez mais uma rotina monótona e mecânica entre nós. E o recurso foi recorrer a estímulos, como assistir vídeos pornôs  durante a transa. Só desse modo pude manter o relacionamento com Paulinho e ter algum prazer sexual com ele. O problema foi que à medida que a amizade entre nós se solidificava, o interesse sexual mútuo diminuía. Ele era um negro forte,alegre, bonito e sua rola  era grande, grossa e bem torneada. Mas gradativamente a ereção já não era tão fácil e duradoura, como no início. Até que afinal, encontrei um motivo para nos separarmos quando ele se viciou em crack. Mas ainda hoje sinto saudades de meu jovem xará e isso é um sentimento mútuo, pois no dia do meu aniversário ele sempre telefona e diz, com voz embargada, que sente muito minha falta e gostaria de reencontrar-me. Mas eu sempre recuso, pois quero ficar o mais longe possível de viciados em crack. A vida é assim mesmo, com encontros prazerosos e separações sempre dolorosas”.

E você, leitor, acha como nosso amigo Paulo que os homossexuais masculinos são, por índole, polígamos e que os relacionamentos entre gays com o decorrer do tempo se transformam em amizade e cada um parte então para novas experiências com outros homens? Dê sua opinião. Este blog preza muito a opinião dos leitores.

Foto de Paulo Chaves com uma amiga, em dezembro passado, no jardim de sua casa, por ocasião do lançamento, ali, de seu livro de prosa e poesia Réquiem para Rodrigo N

Leia também:

@@ A vida dupla de um gay maduro

Anúncios

Sobre Regis

57 anos de idade, residente na cidade de São Paulo

Publicado em 08/06/2012, em Comportamento, Literatura, Relacionamento e marcado como , . Adicione o link aos favoritos. 10 Comentários.

  1. Luis Evaristo Bonfim

    Sempre quis ser pai.Desde cedo, em meus primeiros relacionamentos, eu procurava um filho.Um filho pronto. Um filho que me chamasse de pai ,um filho que eu pudesse chamar de meu.Mas como Deus Meu…, eu sendo Gay.Apareceu um bebê com sua jovem mãe; assustei-me. Surgiu do nada cobrando a paternidade.Aos 17 anos, percebi que não estava preparado para a empreitada.Mas continuei a busca.Os anos passaram e com eles minha vida conheceu amigos,amantes,companheiros,ficantes;nenhum filho. Por bem da verdade,encontrei muitos irmãos.Uns bastante queridos e ainda jovens,partiram deixando eternas saudades.Outros por certo por aí ainda estão.Bem, finalmente cheguei à maturidade e com ela uma grata surpresa: estava ali à minha frente, pronto,no ponto,com tudo em cima ,meu filho, o filho que sempre busquei,seria verdade Meu Deus? Foi amor recíproco à primeira e definitiva vista. Ele aos 17,ganhou um Pai; eu aos já aos 54, finalmente ganhei um filho.Ser pai, que felicidade,quanta responsabilidade,incondicional amor, permanente sofrimento;nenhum arrependimento.Se pudesse voltar no tempo, voltaria à noite chuvosa de Sábado,28 de Abril de 2007.Nessa noite minha vida desabou, perdi o chão,chamei por Deus e implorei-lhe uma reposta à minha dor. Arrancaram-me o meu filho , meu Fábio já não existia mais. Sem forças para continuar a viver,eis que olhando para o alto, vejo meu filho querido dirijindo-se para mim com os frutos de sua irreverente e inconsequente juventude. Meus netos Lucca e João Vitor são a razão de toda a minha vida, a completa resposta à minha pergunta a Deus:não sou apenas pai,sou muito mais; sou pai-avô.Para Sempre.

  2. Concordo que “Os homossexuais masculinos não são diferentes dos heterossexuais”. Nunca tive um relacionamento sério (tenho 26 anos e sou de cidade minúscula onde os relacionamentos geralmente são transas esporádicas e sigilosas,sem carinhos e sem afetos),mas acho que mais por falta de oportunidade (não encontrei o cara certo,se encontrei ele não me encontrou) do que por inadequação em um suposto relacionamento sério,duradouro e de fidelidade,ou seja,da mesma forma com alguns homens heteros mantém por anos relacionamentos monogâmicos,os homens gays também podem manter.Quando estou numa cidade maior,aí me entrego a promiscuidade, mas se eu tivesse numa relacionamento sério não faria isso,até por que não aceitaria que fizessem isso comigo,isto é,deixaria a promiscuidade não por ser ruim, mas me colocaria no lugar do meu suposto parceiro.

  3. Tive poucos amores nesta vida, mas eu tenho uma tese e eu bato nesta tecla: os meus

    grandes amores começaram de uma amizade e consequentemente se terminam com

    uma amizade. Se um ser humano não serve para ser um amigo, MUITO MENOS PRESTA

    PARA SER NAMORADO, MARIDO OU QUALQUER COISA que seje.

    Quem encontra um amigo de verdade encontra um tesouro.

    • FelipeAdrian

      Que a força do medo que tenho
      Não me impeça de ver o que anseio;
      Que a morte de tudo em que acredito
      Não me tape os ouvidos e a boca;
      Porque metade de mim é o que eu grito,
      Mas a outra metade é silêncio…

      Que a música que eu ouço ao longe
      Seja linda, ainda que tristeza;
      Que a mulher que eu amo seja pra sempre amada
      Mesmo que distante;
      Porque metade de mim é partida
      Mas a outra metade é saudade…

      Que as palavras que eu falo
      Não sejam ouvidas como prece
      E nem repetidas com fervor,
      Apenas respeitadas como a única coisa que resta
      A um homem inundado de sentimentos;
      Porque metade de mim é o que ouço
      Mas a outra metade é o que calo…

      Que essa minha vontade de ir embora
      Se transforme na calma e na paz que eu mereço;
      E que essa tensão que me corrói por dentro
      Seja um dia recompensada;
      Porque metade de mim é o que penso
      Mas a outra metade é um vulcão…

      Que o medo da solidão se afaste
      E que o convívio comigo mesmo
      Se torne ao menos suportável;
      Que o espelho reflita em meu rosto
      Um doce sorriso que me lembro ter dado na infância;
      Porque metade de mim é a lembrança do que fui,
      A outra metade eu não sei…

      Que não seja preciso mais do que uma simples alegria
      para me fazer aquietar o espírito
      E que o teu silêncio me fale cada vez mais;
      Porque metade de mim é abrigo
      Mas a outra metade é cansaço…

      Que a arte nos aponte uma resposta
      Mesmo que ela não saiba
      E que ninguém a tente complicar
      Porque é preciso simplicidade para faze-la florescer;
      Porque metade de mim é platéia
      E a outra metade é canção…

      E que a minha loucura seja perdoada
      Porque metade de mim é amor
      E a outra metade… também.

      (Oswaldo Montenegro)

      • drico… seja bem vindo vc vai gostar muito deste blog amigo.
        Qto tempo a gente não se vê hein????????????????????????????????

  4. Depende do indivíduo; um relacionamento, homossexuais, não permanecer por muito tempo. Em minha opinião, talvez sejam do gênero homossexuais: muitos gostam de aventura, fica com um hoje outro amanha. Posso considerar que uma pessoa, aventureira, pode ir perdendo o prazer sexual, quando matem um relacionamento com uma única pessoa, independente da idade; quando separa, tem saudade do relacionamento, que pouco durou, mas, nem todos se tornam amigo.

  5. Niedja Maria Guimaraes

    As situações são diferentes, creio que não tenho conhecimento para opinar a esse respeito.
    Cada caso é um caso.
    Desejo sempre que vivam felizes enquanto durar, como dizia o grande poeta Vinícius de Morais.

    • A racha Niedja se refere aqui ao belo Soneto da Fidelidade, de Vinicius de Moraes,em que o poeta escreve nos dois tercetos finais:

      “E assim, quando mais tarde me procure
      Quem sabe a morte, angústia de quem vive
      Quem sabe a solidão,fim de quem ama

      Eu possa me dizer do amor (que tive):
      Que não seja imortal, posto que é chama
      Mas que seja infinito enquanto dure.”

      É isso mesmo que eu penso: o amor é chama e se extingue, mas que pelo menos seja infinito enquanto durar.

  6. Concordo em partes. Ao meu ver um ralacionamento homo ou hetero tende a dar certo se houver mais cumplicidade na relação. O sonho de querer alcançar juntos alguma coisa é para mim o elemento chave de qualquer relacionamento. O tesão acompanha a cumplicidade entre parceiros.

  7. Eu acho que cada caso é diferente. Comigo isso ainda não aconteceu. Tenho um relacionamento há 8 anos e sinto o mesmo tesão pelo meu parceiro como sentia no começo. Nada mudou. O tesão é o mesmo. Eu apenas acrescento que, se isso ainda continua, deve ser porque temos encontros apenas semanais, ficamos juntos meio periodo por semana, ligamos um para o outro 2 vezes por dia. Só não nos encontramos mais vezes porque ele esta casado e dai já viu….
    Mas, apesar de tudo, se aparecer um outro homem (que seja “o meu número”), eu creio que irei baixar a aguarda e irei transar sim, com esse. 🙂

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: