A fobia social dos gays idosos

Eu tenho uma amiga que tem setenta e três anos. Ela é solteira, sem filhos e mora sozinha, mas está sempre atenta aos acontecimentos diários e gosta de se relacionar com as pessoas para combater a solidão física e social.

Ela defende a ideia de que os gays não estão livres das doenças próprias dessa fase da vida porque na velhice a sexualidade não importa, pois a velhice e as doenças são comuns a todos os seres humanos.

Eu gosto de conversar com a Lúcia porque eu posso entender o processo de envelhecimento de uma maneira que eu ainda não vivenciei, pois eu ainda caminho lentamente para essa fase da vida.

Especificamente sobre os gays, alguns dizem que na velhice ficamos seletivos, mas na verdade um conjunto de situações nos coloca à margem da sociedade e transforma nosso cotidiano em isolamento social, daí o medo se instala e a fobia social toma conta da nossa vida. Mudamos nosso comportamento e achamos isso normal, pensamos e acreditamos na seletividade como um processo natural, mas não é natural se isolar, principalmente por conta da sexualidade.

Os psiquiatras classificam as principais fobias ou doenças dos homossexuais na seguinte ordem de relevância:

  • Depressão
  • Ansiedade
  • Transtornos mentais
  • Fobia social

A fobia social é um distúrbio psiquiátrico comum entre os idosos e é causada por intensa ansiedade quando o gay idoso é submetido à avaliação de outras pessoas.
A principal causa é o isolamento social. Se por um lado o idoso já é discriminado na sociedade, o gay é duplamente discriminado, tanto pela idade quanto por sua orientação sexual.

Especialistas indicam que os principais sintomas da fobia social estão associados à taquicardia, sudorese e vontade de urinar.
A fobia social apresenta traços essenciais de temor ou medo persistente de situações sociais, como por exemplo: ser humilhado durante a paquera em praças ou banheiros públicos. O gay idoso se isola para evitar avaliações e críticas de outras pessoas, além de temer ser descoberto como homossexual, porque pensa que ser um gay idoso é embaraçoso e humilhante.

O fóbico social sente-se muito incomodado todas as vezes que alguém o observa. Existem gays idosos que detestam sair durante o dia para não ser observados ou identificados por pessoas conhecidas. Os poucos que se aventuram sair à noite tomam muitos cuidados para evitar situações desconfortáveis, principalmente, em locais públicos, como cinemas, teatros e restaurantes.

Os limites entre a timidez normal e a patológica são muito tênues para quem não é especialista no assunto. Mesmo para o homossexual com fobia social não é fácil acreditar que sofra de um transtorno psiquiátrico. Somente a difusão popular do quadro típico da fobia social na sociedade é capaz de levar os pacientes com essa fobia ao psiquiatra, o que de fato vem acontecendo cada vez mais entre a população gay.

Leia: Gays otimistas e o sistema imunológico

Anúncios

Sobre Regis

58 anos de idade, residente na cidade de São Paulo

Publicado em 16/04/2012, em Qualidade de Vida, Saúde e marcado como , . Adicione o link aos favoritos. 5 Comentários.

  1. Eu gosto de ser gay mesmo como idoso, só falta é uma pessoa igual q tenha o mesmo prazer.

  2. A solidão na velhice não escolhe sexo nem condição social.

  3. O tempo passou e porque não os vovõs e a vovós…..
    Antigamente a gente ouvia essa estorinha: que Deus tirava a juventidade o vigor e a destreza, mas em compensação trazia sabedoria , paz e o ápice da maturação cerebral.
    Sei que para alguns esse processo pode sim acontecer, mas no geral tá muito muito
    difícil, to reparando muito idoso agitado, amargurado, sem expectativa e que velhice parece
    um fardo muito pesado de carregar, infelizmente gente, para algumas pessoas tem sido isto.
    E eu sinto muito, pois a meu ver seria a melhor idade,mas alguns a coisa tá sendo denominada poir idade. O ke está acontecendo opinem meus amigos……

  4. Paulo Azevedo Chaves

    Sociofobia não é, a meu ver, privilégio comportamental dos idosos. Muitos jovens e adultos são sociofóbicos.Desde a infância eu preferia ler a sair com outras pessoas de minha idade. Sempre achei — e ainda acho –que se aprende muitos mais através da leitura de bons livros, revistas e jornais do que convivendo física ou digitalmente com as pessoas, neste último caso através das redes sociais. O lema do escritor e filósofo francês Jean-Paul Sartre, “O inferno são os outros”, sempre me foi muito caro. No Facebook, por exemplo, as pessoas pedem o hábito de pensar, gastam tempo precioso com futilidades e sobretudo não aprendem ou então desaprendem o ofício de escrever bem. Apesar das várias oportunidades que tive, ultimamente, de me associar a algumas redes sociais, fujo do Facebook e congêneres como o diabo da cruz. VADE RETRUM SATANA!!! E já que falei em leitura, sugiro aos leitores deste blog que leiam meu artigo “Oscar Wilde – a Paixão de uma Vida”. Ele foi publicado no blog INTERPOÉTICA,o melhor blog literário de Pernambuco e recebeu muitos elogios. Confiram e acessem o título no Google.

  1. Pingback: O comportamento social dos gays idosos | Grisalhos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: