A violência contra gays idosos

Assim como na vida real onde os gays idosos são invisíveis para a sociedade, a violência contra gays maduros também, não aparecem nas estatísticas.

A violência contra gays de qualquer idade não é recente, mas infelizmente, não existem registros históricos, principalmente, no Brasil onde o problema somente foi trazido à tona a partir da metade dos aos 1990, através de relatórios do GGB – Grupo Gay da Bahia.

Na linha do tempo podemos observar as transformações sociais e culturais.  A primeira vez que os jornais deram destaque a um crime contra homossexuais, foi em 1988, quando do assassinato do diretor teatral Luiz Antônio Martinez Correa, no Rio de Janeiro. Somente a partir desse fato os jornais passaram a utilizar a expressão: “assassinatos de homossexuais”.

A expressão homofobia não é um termo atual, pois há vinte anos o jornal O Globo publicava a palavra homofobia para designar “horror ao homossexual”.

Os acadêmicos sempre destacam que a violência contra os gays está diretamente ligada, de alguma forma, aos efeitos de fraquezas morais e de escolhas das próprias vítimas. Essas representações eram particularmente fortes no caso de as vítimas serem travestis e no caso de assassinatos de homossexuais de classe média por garotos de programa.

Eu penso que a violência ocorre porque não atentamos para detalhes muitas vezes imperceptíveis do nosso cotidiano e não evitamos situações de risco.

Gays maduros e idosos estão vulneráveis devido ao isolamento social ou à sua condição financeira, mas ao mesmo tempo são frágeis nas questões físicas. Nem todo gay maduro ou idoso “dá pinta” que é gay, então qual o motivo da violência?

A violência também ocorre por comportamentos repetitivos, como a constante frequência de saunas e ambientes de socialização gay, como bares e points de pegação. Os sociólogos dão um nome a isso: promiscuidade – Eu não concordo com essa definição genérica porque os fatores geradores da violência estão ligados à sexualidade e não ao comportamento.

Nos locais de pegação os homens comuns que praticam a violência contra os gays se infiltram no meio para tirar proveito, ou para descarregar a sua homofobia e praticar a extorsão contra os gays. No caso da homofobia é ódio mesmo!

Recentemente, tomei conhecimento de um gay idoso que passou o verão no litoral de São Paulo. Ele conheceu um rapaz que se mostrou interessado numa relação mais duradoura. Não demorou nem uma semana e o rapaz, além de ameaça-lo com a exposição pública da homossexualidade, bateu nele e extorquiu o gay idoso. Um detalhe neste episódio: A vítima não registrou queixa na polícia e sofreu calado todas as consequências físicas e psicológicas, além de entregar mais de três mil reais ao agressor – A vida desse idoso nunca mais será a mesma.

Ontem eu li uma matéria no portal UOL sobre os idosos que vivem sozinhos. A matéria informou que nos últimos dez anos aumentou o número de pessoas idosas de ambos os sexos vivendo sozinhas nas principais cidades brasileiras.

Isso também deve ser levado em conta para a população LGBT idosa e neste cenário a exposição à violência é constante e não é fato novo.

Não existe a receita certa para evitar a violência, mas para nós gays maduros e idosos qualquer descuido pode ser fatal.

Em março de 2010 eu publiquei aqui no blog um post sobre a violência contra gays maduros e idosos e o artigo fui utilizado para compor o documento Violência contra a pessoa idosa: Faça alguma coisa, silêncio é cumplicidade, elaborado por Marília Viana Berzins. O documento em formato PDF está disponível no portal do envelhecimento.

>> Acesse o meu artigo aqui no blog – Violência contra gays maduros e idosos

>>> Acesse o documento completo de Marília Viana – Violência contra a pessoa idosa

Anúncios

Sobre Regis

57 anos de idade, residente na cidade de São Paulo

Publicado em 04/04/2012, em Comportamento, Sociedade e marcado como , , . Adicione o link aos favoritos. 9 Comentários.

  1. Nava vem de uma geração onde a homossexulaidade era totalmente associada à marginalidade. Veja por exemplo hoje, pessoas na faixa dos 70 anos, como o Aguinaldo Silva e Aguinaldo Timóteo lidam mal com a própria homossexualidade. Quanto mais jovem o homossexual, mais liberto de amarras. Eram outros tempos. Nava foi e sempre será um grande homem!

  2. Há um documentário estadunidense deveras interessante que retrata a vida de gays idosos que trabalharam e/ou lutaram pelos EUA e pelos direitos dos homossexuais de lá e agora, na terceira idade, precisam voltar ao armário para receber asilo. Se chama Gen Silent, http://stumaddux.com/GEN_SILENT.html

  3. O proprio texto acima justifica o motivo da agressão com a frase:
    “Efeitos de fraqueza moral e de escolhas da própria vitima”.
    Acho que esta frase resume tudo.Nada mais a declarar.

    • O autor do texto estava aí apenas mencionando a opinião preconceituosa que se costumava ter no passado. Se isso era tudo o que o senhor tinha a declarar, melhor teria sido não declarar nada, pois esse tudo deixou um saldo altamente negativo, como testemunho contra o seu conhecimento e inteligência.

      • Até que enfim alguém para discodar das minhas idéias.Ke bom precisamos de opiniões.

        Seja bem vindo Rafael, pois quem dá os pitacos aqui é o regis, o Paulo Azevedo e eu que sou novato, aprecio muito as reportagens. Acho muito enriquecedor os temas, mas pena que vc,não entendeu a minha colocação.

        è realmente, eu sou responsável pelo que eu escrevo, sim, isto é fato mas o modo que as pessoas interpretam é problema pessoal de cada um.Não me diz respeito.
        Democracia sempre….
        Marcelo

  4. Paulo Azevedo Chaves

    No Rio de Janeiro, no final do século passado, o famoso escritor Pedro Nava se suicidou, aos 81 anos,com um tiro de revolver na cabeça depois de ser chantageado por um prostituto.O chantagista era amigo de um rapaz cujo apartamento Nava frequentava.Ele levava vida dupla e seus familiares ignoravam o fato de ele ser homossexual. Em casos semelhantes, o melhor é desafiar o chantagista a revelar o que quiser ou mesmo prestar queixa na polícia.Em algum tempo da vida é preciso tirar a máscara e de preferência nunca coloca-la. Morrer para não ser desmascarado perante a sociedade e a família é burrice e covardia. Se como escritor Pedro Nava foi um gigante, como ser humano foi um anão. Um gay covarde que merece apenas nossa comiseração.

    • Lembro desse fato… mas acho complicado julgar quem não se conhece. E pode ser que Pedro Nava não tenha se suicidado exatamente pelo medo de sua sexualidade vir a público, mas por se sentir esmagado pela imensa desilusão com esse lixo que pode ser a pessoa humana.
      Também já fui roubado por parceiros sexuais, mas embora não assuma para a sociedade, nunca me deixei intimidar. Quando me levaram o relógio, comprei outro (ocorreu 2 vezes). Quando me levaram dinheiro, também nunca fiquei sem. Enquanto que esses indivíduos continuam merecidamente na merda.
      Obs: isso ocorreu há muitos anos. Hoje, que sou considerado idoso, não tenho comportamentos de risco.

  1. Pingback: A homofobia internalizada contra gays idosos | " F I N I T U D E "

  2. Pingback: A homofobia internalizada contra gays idosos | Grisalhos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: