O isolamento dos casais gays

Eu recebo muitos e-mails de casais que buscam outros casais ou amigos para amizade e principalmente viagens.

Os homens que se relacionam com gays mais velhos e dentro do armário vivem o isolamento social, inclusive, no meio homossexual. Talvez, o isolamento também acontece entre casais sem muita diferença de idade. Isso pode ser uma opção, mas tem muitas variáveis.

A seguir destaco três fatores que contribuem para conflitos e isolamento:

  • Diferença de idade entre os parceiros;
  • Diferenças culturais;
  • Diferenças sociais;

Os gays mais velhos tem uma tendência natural do acomodamento por serem mais seletivos e os jovens estão com a adrenalina à flor da pele. Enquanto o “coroa” quer sossego, o jovem quer os bares, baladas e agitação.

Se você buscar na internet  encontrará muitos anúncios de casais que buscam outros casais para relacionamento social. Não pense você que é para sexo ou troca de casais.

No começo da relação os jovens que gostam de maduros vivem num mar de rosas e quando  a relação se estabiliza e cada um conhece melhor o parceiro, os conflitos aparecem. Invariavelmente, o jovem vai se sentir sozinho e sem amigos, ou, se isolou para viver a relação e os amigos desapareceram.

Eu me lembro de um bordão muito comum no meu círculo de amigos gays da minha juventude:

O meu amigo sumiu! Ele deve estar doente, morreu ou está de “caso” novo – Dito e feito. Alguns meses depois ele reaparecia e apresentava o seu “coroa”.

Quando eu analisei essa questão do isolamento social entre os casais eu cheguei à conclusão de que isso é inerente ao relacionamento entre duas pessoas do mesmo sexo. Tanto faz se é gay ou lésbica, os casais buscam se firmar e para não ter a interferência de outras pessoas, inconscientemente, optam pelo isolamento. Lembre-se: Nós não constituímos família e não temos filhos.

Uma vez um amigo me falou: Eu sumi da roda de amigos para não roubarem o meu “bofe” – Faz sentido.

O melhor nessa história é o fato dos mais velhos estarem atentos a esse isolamento e buscam junto com os seus jovens parceiros, algumas soluções criativas para preencher a lacuna da vida a dois.

Uma delas é morar separados – cada um no seu canto, com sua vida social e familiar. Aí o casal se encontra nos finais de semana, feriados e férias. Neste tempo curto de convivência há uma saída para um hotel, motel ou na casa de um dos parceiros.

Outra solução criativa – morar separados, mas fisicamente perto. No mesmo bairro, no mesmo quarteirão ou no mesmo prédio. Isso camufla o relacionamento e deixa os “pombinhos” a um passo de matar as saudades, além de ser um ótimo radar para vasculhar a vida e o comportamento do parceiro.

Atualmente, os mais velhos estão ousados e assumir a relação e morar juntos é a melhor forma de combater o isolamento individual, mas não estarão livres do isolamento social do casal.

No meu prédio tem um médico de 65 anos que é casado e mora com a mulher noutro bairro e o apartamento é a sua segunda morada. O “apê” está no nome do seu parceiro mais jovem e toda semana ele aparece por lá para viver a sua vida dupla. Isso não é crítica, mas foi uma forma criativa dele viver a sua vida homossexual, ou será que ele é bissexual? Isso já dura mais de cinco anos.

Eu conheço um gay residente em São Paulo e o seu parceiro é francês e mora em Paris. Pode? A convivência é dividida com seis meses no Brasil e seis meses na Europa. Esse relacionamento deve ter mais de 10 anos.

Já mencionei aqui no blog que há quatro anos eu tenho um relacionamento. Eu sempre morei em São Paulo e ele morava no interior. Ano passado ele mudou pra capital. Quer melhor? Ele mora no mesmo prédio que eu. Essa foi uma alternativa combinada entre nós, porque ele nunca morou com ninguém e na velhice as mudanças são traumáticas.

De certa forma, nós vivemos um isolamento social, pois temos poucos amigos ou outros casais para compartilhar momentos de convivência e lazer. O mais importante é o respeito e a ajuda mútua entre os parceiros. Temos vida social agitada, nos cinemas, teatros, restaurantes e muitas viagens, mas sempre nós dois. Optamos por viver assim e somos felizes.

O mundo moderno é pleno de individualismo e mesmo com leis para os gays, a união estável ou adoção de crianças não vai mudar este cenário. Evoluímos para termos direitos civis, mas ainda estamos longe de conquistarmos a verdadeira liberdade.

Como disse o cantor Belchior na voz de Elis Regina:

Ainda somos os mesmos e vivemos como os nossos pais.

Anúncios

Sobre Regis

58 anos de idade, residente na cidade de São Paulo

Publicado em 03/02/2012, em Comportamento, Sociedade e marcado como , . Adicione o link aos favoritos. 33 Comentários.

  1. Carlos Augusto

    Regis, boa tarde…deixei uma historia no seu email da uol indicado acima…por um acaso vc teve acesso a ele?? obrigado…Carlos…

  2. Nada contra, mas porque não se buscar alguém compatível com a sua idade para relacionamento ? Acho prático, menos estressante e mais sensato.

    Nunca entendi muito bem essa questão, quase que unânime entre homossexuais mais velhos, em se priorizar relacionamentos com homens com uma diferença de idade imensa. É óbvio que haverá choque de geração, incompatibilidade de interesses e uma insegurança constante. Sendo que muitas vezes esses relacionamentos só se sustentam através da inserção de um terceiro elemento ou outros casais para “relacionamento social”.

    É claro que sei perfeitamente da existência da pluralidade de afetos, prazeres e relações humanas. Tudo é válido, desde que se viva bem nessa escolha mútua. Mas o grande problema é que a maioria desses casais, onde há uma grande diferença de idade, não vive. Como foi dito no texto, prevalece um isolamento sufocante, fruto de um ciúme doentio e uma insegurança absurda. Ora pombas, então para quê vou procurar sarna para me coçar ?

    Quer curtir sexualmente um garotão, vai e curte numa boa. Mas por favor, não se permita envolver emocionalmente, pois só irá lhe trazer dor de cabeça e insônia.

    Me perdoem a sinceridade.

    • Altemir tudo o que publico são experiência de vida gay. Abraço

    • Meu caro, não é bem assim. Eu e meu esposo estamos juntos a um bom tempo e tudo que precisamos fazer e conciliar gostos e respeitar o limite do outro. Preferências todos cada um tem as suas e por mais que seja sincero não condiz com a realidade de todos os casais.

  3. Married Daddy

    Regis, há muito não lhe escrevo, mas sempre que possível acompanho o blog, os seus textos são ótimos, isso é dito por muitos e muitos homens assim como eu já disse aqui. Mas agora, a minha vida tomou um novo rumo, eu e a esposa resolvemos agir com maturidade e, diante dos fatos, decidi sair de casa. Continuo casado, com as minhas responsabilidades, tarefas de pai, mas morando em um casa diferente, embora vendo os filhos regularmente. É claro, não foi fácil tomar uma decisão dessas, depois de mais de vinte anos casado, mais foi um sacrifício necessário para ambos, que irão crescer e evoluir daqui pra frente. Ela, com os filhos e seus projetos, eu, com uma vida nova, num endereço novo, mas agora com tempo e disponibilidade para o meu namorado, que me esperou por todo esse tempo. Não quero tomar decisões precipitadas, mas estamos loucos pra começar essa vida a dois. Nós somos loucos um com o outro, temos a mesma idade, 46, e uma conexão muito prazerosa. Devo muito a você, Regis, vi aqui histórias e exemplos que me inspiraram e me motivaram, também, assim como muitas outras experiências. Espero que essas mensagens cheguem a muitos corações, assim como chegaram ao meu. E com todo respeito ao seu e (ao meu) companheiro, você é como eu imaginava, lindão, me permita esse elogio, sua foto mostra esse seu carisma. Abração pra você e a todos que estão aqui, na busca pela Felicidade. Ela pode estar em várias coisas. Tenho filhos maravilhosos, uma esposa que agora é uma grande amiga e um protetor, alguém que me ama e cuida de mim.

  4. Boa Tarde. o que percebo é que no mundo gay as amizades são muito volúveis. Parece que existe uma regra: Me chamou pra sair? Ah.. tem q rolar algo, ou seja, o interesse é sexual. Fui casado 8 anos e praticamente não convivi com essa realidade. Agora solteiro é que estou entendendo como funciona, se não for trepar, o contato esfria. Acho q é fruto das facilidades dos aplicativos que torna as pessoas muito superficiais. Nasci em uma família tradicional onde onde são sempre bem vindos e conhecidos. Agora como viver desta forma? Estranho mundo gay, parece que é viral. Aff

  5. laecio oliveira

    gostei muito deste site nunca vi nada como este site que me tocou profundamente tenho 39 anos vou fazer 40 mês que vem e to afim de amizades verdadeiras se os casais querem um amigo pra conversar moro no centro de Guarulhos

  6. Pior do que viver uma relação isolada, é não ter com quem dividir a vida, portanto para mim a dificuldade é essa, porém quando eu encontrar alguém acredito que para mim isso não será problema, pois já vivo num isolamento só, e sei bem o que é isso, portanto é isso aí, a perfeição não existe, cada um que viva o melhor que pode.

    • Caio, o seu modo de pensar sobre o tema é bastante sensato. Precisamos aprender a valorizar o relacionamento que conquistamos, sem exigir que ele seja perfeito, ou seja, que nos complete em todos os aspectos, porque realmente nada na vida é perfeito!

  7. Vivemos uma relação bastante estável há 22 anos.Sabemos que é uma situação rara no mundo homossexual, mas para nós tudo foi e é absolutamente natural.Tenho 51 anos e meu parceiro 47.Quando nos conhecemos, fomos morar juntos e nos isolamos involuntariamente por 8 anos, quando então passamos a frequentar baladas na companhia um do outro, todo fim de semana, por aproximadamente 6 anos, sem que essa exposição abalasse nosso relacionamento, sequer por uma única vez.
    Há 8 anos, porém, meu parceiro teve problemas na coluna vertebral e foi submetido à uma cirurgia, com sucesso.Some-se a isso o fato de termos adquirido nosso imóvel próprio e termos nos distanciado da região central da cidade, além dos adventos da lei seca e da proibição do fumo nas baladas. Desde então, voltamos ao nosso bom e velho isolamento.
    Acontece que de alguns poucos anos para cá, diferentemente do meu companheiro, tenho experimentado a estranha e terrível sensação de estarmos sós neste mundo, embora satisfeitos um com o outro. É perceptível o distanciamento dos vizinhos de condomínio quando percebem que somos um casal. É perceptível o tratamento respeitoso, porém diferenciado, por parte dos parentes, tanto meus quanto dele. É perceptível o desvio de olhar, de outros raros casais homossexuais, quando nos cruzamos no supermercado, por exemplo.
    Chego então à conclusão de que estamos sendo isolados por todos os lados e eu não estou conseguindo lidar muito bem com isso.Parece que o fato de nós casais gays não podermos gerar filhos próprios , nos torna muito diferentes, na essência, dos casais heterossexuais e talvez esse seja o preço mais alto que paguemos por nossa escolha afetiva.
    Há poucos anos da aposentadoria, fico satisfeito por poder começar a planejar nossas viagens tão esperadas, sem dia certo para a partida e muito menos data de retorno, o que nos fará extremamente felizes, porém, confesso que preocupa-me muito a possibilidade de que essa sensação de isolamento persista e acabe por interferir demasiado no meu emocional.abraços

    • Daniel

      É isso mesmo! Tudo o que você disse é verdade para os casais gays.
      Lembre-se que o mais importante é essa busca constante por bem estar.
      Compartilhar é um exercício diário e um aprendizado
      Be happy!

    • Vcs já pensaram em ter filhos? Se não, pq?

      • Sim Pedro, já pensamos muito nesta possibilidade, mas como trabalhamos o dia todo fora, pensamos que adotar uma criança e ter de deixa-la aos cuidados de uma creche, seria o mesmo que mantê-la no orfanato, de onde saiu. Nossa empresa nos concede licença de 6 meses em caso de adoção, mas consideramos esse tempo insuficiente para as necessidades de uma criança. Some-se a isso o fato de entendermos que a personalidade e a índole de um ser humano são forjados pela carga genética e que a educação, por melhor e mais responsável que seja, não é capaz de alterar isso. Tememos portanto, a possibilidade de uma grande decepção futura.
        Obrigado

  8. Bom, eu me relaciono há um ano com um cara…temos um relacionamento estável… ninguém sabe se isso é ruim pois não temos amigos em comum….
    Estamos procurando amigos discretos somos de sao paulo… região de guarulhos próximo ao centro

    • Ola Amigos!
      Muito ruim viver nessa situação, buscamos casais de amigos sem segundas intenções e acreditamos que a Internet possa nos ajudar nesta busca.

      • Caio, também acreditamos que seria interessante e saudável podermos compartilhar nossas vidas de casais com outros casais, só que isso parece bastante difícil, senão quase impossível. As razões? Sinceramente nunca conseguimos entender muito bem.

  9. o pior do que não ter um outro casal de amigos, é não ter achado um parceiro, toda vida esse foi o meu ideal, ter alguém mais velho para cuidar, e para mim só isso bastava, não necessito de vida social, tanto é que adoraria viver com alguém em um sítio, convivendo com a natureza e os animais.

  10. É dificil mesmo ser um casal gay assumido, as pessoas ainda tem muito preconceito. Ninguém quer ser vítima de preconceito como sofreram na escola e antes de adquirir independência, com certeza, mas acho que num futuro essa situação no Brasil vai mudar pra melhor. Já vejo isso mudando agora. Moro em Pelotas, no interior do RS ha algum tempo. Tudo bem que a cidade já tem uma fama, aliás, o estado inteiro, mas vi muitos casais gays e lésbicos na rua de mãos dadas, agindo naturalmente, pelas ruas em horários cotidianos como hora do almoço e tal. Tem pessoas que zombam? Sim, com certeza, inclusive um amigo hétero meu zombou. Mas isso sempre teve e sempre terá, mas achei muito legal da parte desses casais de tomarem a atitude de saírem publicamente, afinal, são casais como outros quaisquer, tem esse direito. Acho que tomar atitudes como essas, que precisam de um pouco de coragem apesar de serem de direito nosso, vão acabar colaborando para mudarmos essa situação de isolamento. Os casais eram jovens, mas daqui a um tempo estarão idosos, e continuarão com a mesma atitude.
    Bom, é isso, gostei muito da reportagem e do blog, continue assim!

  11. É muito comum, o isolamento dos casais: muitos gays maduros discretos, totalmente no armário, vivendo relacionamento isolado da sociedade tanto como os bi: muitos dos gays maduros falam que já viveram o que tinha de viver, os poucos amigos que tinham sumiram e outros já morreram; e os que têm família moram em outra cidade; Preferem ter um relacionamento isolado.
    Eu tenho 22 anos, e moro com um coroa de 64 anos, há 3 anos. Ele prefere um relacionamento discreto e isolado da sociedade. Depois de ter lido este artigo acabo de confirmar o que ele diz: a diferença da idade. Eu estava percebendo, que também desde jovem, estava vivendo totalmente isolado da sociedade e perdendo todos os amigos. A minha família mora em outra cidade, não da para visitar sempre; o único lugar que eu saia era para a faculdade onde conversava pouco com os amigos da sala de aula, e depois de sair ia direto para o apartamento; e ele só sai para os compromissos que todo nós temos. Como nosso relacionamento é maravilhoso, ele permitiu que eu procurasse amizade discreta para se divertir de vez enquanto.
    Neste meio, quando há ciúme faz com que um relacionamento de uma pessoa madura com uma pessoa jovem não seja duradouro, principalmente os gays maduros que gostam do relacionamento isolado e não sentem confiança no seu parceiro jovem. Viver um relacionamento isolado e discreto, pelo menos eu gosto, mas é péssimo para uma pessoa jovem, é o isolamento da sociedade.

    • Wesley
      Sim, quando os gays maduros encontram parceiros jovens, a maioria opta por isolar o parceiro. Talvez, isso seja inconsciente, ou não.
      Eu também acredito que isso é decorrente do espírito de cada um. Quem tem espírito jovem, mesmo maduro ou idoso, socializa e não gosta do isolamento social.
      Conheço pessoas que não tem amigos e quando encontram um companheiro se apegam a ele como a última esperança de sair do isolamento individual e isso para elas é muito mais importante do que o isolamento do casal, pelo menos não estarão sozinhos.
      Na semana passada eu ouvi a seguinte frase: Eu não tenho ninguém. Se eu te perder eu não sei o que será da minha vida.Obviamente, quem disse isso tem mais de 60 anos.
      Infelizmente, tem gente que não sabe tratar dessas situações.

      abraços

    • Jack dos Santos

      Wesley, também vivemos uma situação semelhante a sua, eu tenho 28 e meu coroa 65.
      Não temos amigos semelhantes a nós, que queira somente amizade, a maioria que encontramos fica achando que estamos interessados em troca de casais.
      Nós compartilhamos a seguinte ideia: vamos vivendo a vida felizes como somos e se algum dia surgir algum casal como nós para sermos amigos, bom, caso contrário vamos nos divertindo somente nos dois mesmo.
      Vou colocar no classificados o meu email para que possamos trocar informações

      • Jack, para nós viver um vida sem muito transtorno e repressão. Vamos improvisando e desviando de muitos obstáculos impostos nessa sociedade, totalitarista, ignorante, homofobica… Somos seres humanos, temos nossos trabalhos pagamos nossas contas, como qualquer cidadão. Mas quando falamos no mundo gay, para a sociedade nós temos uma visão diferente; como se os gays fossem tudo de errado que encontramos na sociedade. Com nosso causo, e de muitos… É viver uma vida discreta e isolada da sociedade, principalmente quem vive com pessoas maduras; imaginemos nós jovens passando num Shopping acompanhado de uma pessoa madura; eu não importo, mas o meu coroa não aceita. Mas eu entendo e aceito numa boa, eles é dê um tempo nós de outro. Pleno século XXI fruto de nosso tempo é difícil, imagine eles(maduros) filho do regime militar. Se eles viveram toda essa vida dentro do armário; concorde que depois de velho a tendência é cada vez mais ser discreto. Por um lado é ótimo: com o meu relacionamento discreto e isolado da sociedade; o que não é legal é para os jovens que procuram esses tipos de pessoas madura, porque a maioria deles não freqüenta ambiente gay.

        abraços

      • Pois e também estamos no mesmo dilema, eu tenho 23 e ele 60, moramos em fortaleza e também temos dificuldade em arrumar casais homens (“rachas” temos varias) mas seguimos nossa vida e se aparecer alguém semelhante a nós sera muito bem vindos.

      • Relações estáveis entre gays leva, invariavelmente, ao isolamento social

    • Excelente materia, obrigado!

      Gostaria de poder trocar contato com vocês…
      Por favor moderador do site, pode nos ajudar de alguma forma?
      Sugerir algo?
      Desde ja agradeço!

      Caio

  12. Jack dos Santos

    Boa noite, escrevi um comentario sobre a nossa dificuldade de encontrar amigos, somos um casal, eu 28 anos e meu coroa 65 anos.
    Não foi aprovado o meu comentario pelo moderador e ainda por cima, aproveitaram o texto que escrevi para criar esse novo post.
    poderia publicar o meu post????, por favor ???

    • Jack
      Conforme e-mail enviado hoje a você, eu expliquei que o blog tem um papel social para informar e divulgar sobre as condições e situações do cotidiano dos gays.
      Sou democrático, mas este espaço não é apropriado para anúncios pessoais.
      Você pode comentar os posts desde que os comentários sejam pertinentes ao assuntos publicados.
      Também, você não é o único que tem problemas de isolamento social. Todos os dias chegam e-mail pedindo informações e esclarecimentos de como resolver este problema.
      Dentro do possível eu respondo aos leitores via e-mail, mas nem sempre tenho tempo livre para me comunicar com centenas de pessoas.
      abraços

    • Poxa, queria seu contato Jack… eu tbm estou com um maduro a quase 4 anos e não temos amigos.

    • Boa noite!
      Estou lendo os comentarios amigos, e vivo a mesma situação que você.
      Por favor me envie um Email e vamos conversar um pouco trocar contatos, e quem sabe possamos ter uma amizade entre casais.
      Abcs

  13. vou deixar meu comentário:
    Quem nunca foi a um casamento convencional? Acho que todos um dia na vida foram….
    pois bem meus amigos, na hora em que são cruzadas as taças,cada um pode encher a taça do outro mas CADA UM BEBE DA SUA…, a meu ver relacionamento a dois dá certo
    sim, desde que cada um saiba dar ao seu valor e principalmente saber quanto dura é a solidão…. aí sim creio, numa possibilidade mas não existe uma receita específica de relacionamento cada um com seu cada qual… ou seja do modo que acharem melhor as possibilidades sejam juntos, morando em casas separadas, ou até em outros países…por que
    não? o importante é que a chama esteja sempre acesa e motivos para dar continuidade na relação….cada um dá o que pode…o melhor de si, tá bom pra mim? para vc ? para nós?
    Então tudo ok.
    As alegrias incompletas desta vida jamais preenchem o coração humano seja hetero, homo, bi…… há sempre um vazio que devemos preencher antes de tudo com nós mesmos.
    aí eu acredito que o isolamento acaba.
    obs: estou aberto para conversar…..
    fiquem na paz marcelo .

  14. Paulo Azevedo Chaves

    Num relacionamento estável entre pessoas de gerações diferentes, a convivência é problemática e ainda mais difícil se as personalidades e comportamentos forem antagônicos.Se um é assumido e o outro se esconde no armário, pior ainda.Para complicar tudo, a atração sexual vai aos poucos diminuindo quer entre casais gays, como entre casais héteros.Numa cidade como São Paulo, cheia de tentações, é difícil que um homem mais velho, em busca de tranquilidade, consiga aplacar a inquietação natural do parceiro jovem assistindo televisão a dois,escutando música, ou seja lá o que for.É mais fácil um camelo passar por um buraco de agulha do que uma relação desse tipo durar mais de dois ou três anos.Mas para não ser totalmente pessimista, aconselharia a esse casal idoso-jovem que fizesse, anualmente, um cruzeiro pela Europa ou praias do Nordeste.É uma maneira de fazer novas amizades e sair da rotina que mata qualquer paixão.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: