Parada Gay SP – O silêncio

Anúncios

Sobre Regis

58 anos de idade, residente na cidade de São Paulo

Publicado em 27/06/2011, em Imagem e marcado como . Adicione o link aos favoritos. 4 Comentários.

  1. edgarsaldanha

    Até já pensei assim, principalmente qdo.do gigantismo das paradas: liberté a frivolité….descambou-se, falo de SP, qdo. a GLBT, ficou sob uma direção pelega até sob suspeita de desvios economicos. Vide fez até alianças c/Kassab,Serra, p/permanecerem com sede no edificio Andraus – Centro – mas Kassab, os botou p/fora, e ficaram “caladinhas”, não so a GLBT, varias ONGs, que alí desfrutaravam de “alojamentos”.Oque não podemos perder de vistas e c/nasceu a parada do orgulho gay -celebre episidio de confroto em Los Angeles c/a policia homofobica.
    Aqui não foi diferente a iniciação- lembro me estive presente na Pça Rossevelt, em que os carecas e policiais do antigo DOPS e demais aparelhos repressivos, impediram nossa passeata.
    Mas processo histórico é assim, altos, desvios e baixos.Os lucidos e resistentes não devemos curvar aos oportunistas de plantão.
    Creio q. c/a nova direção resgatar-se-a a real politik.

  2. Ponte de Pedra

    As paradas, tal como são realizadas, são equívocos. O dinheiro público empregado para a consagração da futilidade e do descompromisso, a ausência de espaços em que nossas lutas e causas sejam divulgadas e reforçadas para o imenso público, inclusive heterossexual, que as presencia, e o despudor com que muitos as encaram, como se fossem um simples Carnaval, fazem delas momentos inúteis de exibicionismo e frivolidade. É certo que muitas parcelas da sociedade são hostis a nós, homossexuais, por nos verem pendurados em carros alegóricos de saunas e quetais, seminus ou fantasiados de mulher, com muito silicone simulando seios e bumbuns fartos. Reforçamos nesses eventos tudo o que há de pior, distanciando-nos, cada vez mais, da construção de uma imagem positiva que nos caracterize e nos aproxime do cidadão comum, estimulando-o a que nos respeite e acolha. Paradas Livres são retrocessos. Poucos aceitam essa verdade.

  1. Pingback: Parada Gay SP 2013 – O dilúvio | Grisalhos

  2. Pingback: Raios-X da Parada Gay 2012 « Grisalhos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: