As fortalezas e castelos dos gays maduros

Na minha faixa etária, os gays idosos e maduros se sentem terrivelmente excluídos, porque não tem aonde ir. Em São Paulo, por exemplo, são tão poucas as alternativas que dá para contar nos dedos.

Talvez, seja por isso que o ABC Bailão, o Caneca de Prata e raríssimos bares gays fazem tanto sucesso há anos! O Shopping Frei Caneca é um programa de índio, até porque tem outros muito melhores e não dá para circular por outros locais sem ser observado e discriminado.

Os empresários do mundo GLS fazem fortunas com entretenimento para o público jovem, mas não investem no público maduro. Recentemente, alguns eventos com grande divulgação atingem todos os públicos, inclusive, os maduros.
Exemplos: O Cruzeiro Gay Nacional e a Parada Gay.

Imagine eu entrando na The Week, na certa irão me olhar e pensar o que este “tiozão” está fazendo aqui?

Eu tenho certeza que ao longo dos anos construímos nossas fortalezas e castelos para viver confinados e seguros. É por isso que eu viajo para a minha chácara no interior, por lá eu me sinto seguro e longe de tudo. É lá que eu posso viver com o meu companheiro sem ser discriminado. Tomamos banho e dormimos juntos. Os nossos parcos vizinhos não nos incomodam e se sabem que somos gays, pelo menos na nossa frente não dizem nada.

Eu me considero um ser privilegiado por ter uma profissão e estar a pouco mais de três anos da aposentadoria. Muitos gays nessas condições constroem o seu mundo particular. Um mundo composto de um bom apartamento na cidade, um carro, um apartamento na praia ou uma casa no campo. A possibilidade de curtir férias no nordeste, nos Estados Unidos ou na Europa.

Isso também é prisão! E tantos gostariam de estar nessas condições – paga-se para ter a segurança, mas não conseguimos pagar para ter alegrias com as coisas simples da vida. Na chácara eu até faço coisas simples, como andar de pés no chão, apanhar uma laranja na laranjeira, cortar a grama ou varrer as folhas da varanda.

Quando me sinto isolado aqui na capital de São Paulo, eu e meu companheiro vamos para São Vicente, no litoral e lá no Ki-Buteco eu recarrego as minhas energias observando o meu mundo gay de homens maduros e seus companheiros, mas no fim do dia eu retorno para a segurança do meu castelo e a magia desaparece. Entendeu?

Eu sou um cara de sorte porque tenho um companheiro para dividir os espaços do meu castelo. Vez ou outra, convidamos os poucos amigos para um almoço ou jantar.
Bom seria viver longe das muralhas da minha fortaleza e aproveitar os anos que ainda me restam. A vida é muito efêmera.

A segurança é importante, mas o isolamento social é uma realidade na vida dos gays maduros e aí preenchemos nossos dias com coisas do mundo heterossexual, até porque não dá para viver sem ele.

Em muitos casos, gays que constroem seus castelos não têm com quem dividir os seus espaços e aí ocorre a frustração e a solidão. Esses ficam debruçados nas muralhas observando o mundo lá fora e repentinamente, envelhecem física e psicologicamente.

Isso é triste, mas é uma realidade cada vez mais presente na população gay com mais de 60 anos

Anúncios

Sobre Regis

58 anos de idade, residente na cidade de São Paulo

Publicado em 24/05/2011, em Comportamento, Opinião, Relacionamento e marcado como , , . Adicione o link aos favoritos. 4 Comentários.

  1. renato bastos

    Eu não concordo com essas citações. Visto que a velhice chega pra todo mundo. Não escolhe raça, credo e nem sexo. Basta lembrar que nós, gays, temos o privilégio de, digamos, curtir a vida por um longo período de nossas vidas. Isso simplesmente porque vivemos praticamente para nós, para o nosso bem-estar e isso podemos levar até quando quisermos. Diferente dos héteros que “curtam” a vida até se casarem ao que termina as baladas,as noitadas, as saídas e depois filhos aí tudo muda e praticamente isso antes dos 40.
    E em se isolar ou se sentir isolado é relativo. O que devemos aprender e como levar a vida depois dos 50/60.Tudo depende do nosso estado de espírito e de nosso comportamento e do que se dá importância.
    Foi bom enquanto éramos mais jovens? Sim! Com certeza. Mas devemos saber nos preparar para o momento da vida aos 50/60

  2. Sim, eles existem! Eu só gosto de homens maduros acima de 50 anos, e esses castelos que são construídos escondem e nos dão a falsa impressão que os homens maduros gays DISCRETOS e SERIOS estao escassos, desde adolescente sempre busquei um companheiro para dividir minhas alegrias e compartilhar metas de vida.

  3. Euclides Rosário

    Em todas as cidades, a situação é semelhante. Quando surge um bar ou boate que nos recebe bem e onde maduros e idosos podem dançar, juntos, com jovens, como era, há dez anos, o bar Anjos Azuis em Porto Alegre, próximo à Santa Casa, acaba fechado por má administração ou motivo paralelo. Nas boates, predomina o jovem, o que é natural. É bom que ele curta sua idade e seu vigor para que, quando grisalho, não lamente que não aproveitou a juventude. Ela passa muito, muito rapidamente. A velhice, para todos os seres humanos, é pesada, especialmente num país que discrimina idosos. Basta ver como é a aposentadoria de quem trabalha 35 anos e tanto lutou pela grandeza do Brasil. Deve haver uma saída para nós, com mais de 60 anos. Não vale ficarmos nos desgastando com a solidão, o abandono e a frustração. Noto que, embora seja idoso, mas sem a cara de um deles, ainda sou eventualmente paquerado por jovens. É lógico que paquero muito mais do que sou paquerado. É o preço da certidão de nascimento. Vamos falar mais sobre isso ? Vamos pensar em soluções ? Deve haver alguma que nos sirva, coletivamente até…
    ..

  4. Gosto do seu blog. è um desabafo, uma busca e uma mensagem de futuro. Tem muito mais ainda aí. Gostei da parte da laranjeira e dos pés no chão. Bom ter um castelo e um companheiro para dividir.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: