O futuro do envelhecimento dos gays

Eu sempre acompanho tudo o que acontece na ONG SAGE, uma instituição americana de apoio aos gays idosos, independente do sexo ou gênero.
A SAGE USA transforma ações simples em resultados surpreendentes. Os gays tem uma referência de apoio em diversas áreas. Os seus escritórios funcionam como se fossem centros comunitários e estão sempre abertos ao público. Há um calendário de atividades, sociais, médicas e educativas, além de entretenimento.

Ai eu saio desse mundo maravilhoso da SAGE e volto para o Brasil e o que vejo?

Neste final de semana circulei de carro pela cidade e ontem na avenida paulista eu vi uma manifestação contra a violência e homofobia por conta dos recentes episódios de agressão contra possíveis gays na mesma avenida na semana passada. Os jovens de hoje estão condenados às mesmas violências físicas e psicológicas dos gays dos anos 60, 70 e 80.

Sábado fui ao Clube de Regatas Tietê apenas para ver a movimentação dos Jogos da Diversidade e tive a sensação de que tudo aquilo era surreal. A iniciativa é válida, mas ainda carece de reconhecimento e participação da população gay em geral.

Do outro lado da cidade eu pude observar um morador de rua abandonado e sozinho embaixo de um viaduto. Ele pedia dinheiro para matar a fome. Qual não foi minha surpresa quando ele se aproximou. Foi quando eu percebi que ele era gay.

Há pouco mais de um mês eu acompanhei (de longe) a baixaria durante as eleições da nova diretoria da Associação da Parada SP, onde o empresário e dono da sauna 269, Douglas Dumond queria porque queria tomar a associação à força. Ele também é fundador e presidente da ONG Casarão Brasil que tem nos projetos um abrigo para mendigos gays e gays idosos e que nunca saiu ou sairá do papel.

Os projetos sociais são apenas “fachada” para alimentar o ego desse e de outras pessoas que tem objetivos pessoais de autopromoção. O mundo gay está dividido em camadas sociais e os mais pobres nunca terão acesso a serviços sociais dignos, enquanto os mais ricos usam e usarão os mais pobres para ter visibilidade nas comunidades gays.
O slogan da SAGE – The future of Aging is in our hands, quando trazido para a nossa realidade não tem nenhum sentido prático e torna o futuro do envelhecimento dos gays incerto e muito triste.

A mudança apenas acontecerá quando os gays mais afortunados perceberem que estão velhos e sozinhos ou quando forem acometidos por doenças físicas e psicológicas. Talvez aí eles mudarão o seu comportamento e descobrirão que na velhice ou na doença todos são iguais.

Anúncios

Sobre Regis

58 anos de idade, residente na cidade de São Paulo

Publicado em 22/11/2010, em Opinião, Protesto e marcado como , , . Adicione o link aos favoritos. 3 Comentários.

  1. Valeu, Regis!!! Então, com sua permisão, de vez em quando venho xeretar por aqui. Tenho muitos amigos gays e o filho da minha companheira também é homossexual, por isso vivo esse universo bem de perto, como expectadora e de vez em quando, cuidando também, junto com a mamãe preocupada. Grata pela gentileza! Abraços!

  2. Eu estava procurando material para uma postagem sobre homessexuais idosos e achei este blog. Notei que aqui é um espaço para rapazes e, como não deixo de ser um rsrsrs… tomei a liberdade de deixar aqui o meu recado. Esse assunto me interessou, pois hoje pela manhã uma amiga me confidenciou o quanto pra ela tem sido difícil envelhecer, principalmente, pelo preconceito que nota vindo dos próprios homossesuais. Você aqui aborda a questão sócio-econômica, o que também pega super hiper mega pesado. O grande lance é que ninguém está nem aí pra isso!!! Homossexuais moradores de rua, vítimas de drogas, doenças, prostituição, etc… tem aos montes. Agora, se um heterossexual é tratado com descaso pelos diversos setores sociais de apoio, imagine os homossexuais. Trabalho em um setor diretamente ligado a proteção e orientação a idosos e viro o “cão” quando um homossexual idoso nos procura e recebe tratamento diferenciado. Acho que as pessoas são desafortunadas pelo simples fato de não sacarem que o tempo passa pra todo mundo. A velhice não é prerrogativa de alguns poucos, mas sim de todos. Nunca fui e não pretendo ser ligada a projetos sociais, pois não acredito nisso e você está coberto de razão: prestam para alimentar mentes egóicas, tão somente. Aliás, eita povo pra ser vaidoso!!! Um abraço!

    • Beth
      Muito obrigado pelo registro desse comentário. Os grisalhos é um espaço de rapazes porque sou um e não conheço quase nada do universo feminino, gay ou não.
      Eu acredito em projetos sociais contidos na ONG SAGE, porque eu vi pessoalmente o trabalho e lá os gays não colocam sua condição sócio-econômica como cartão de visitas. Todos são iguais, gays, lésbicas e trans e todos trabalham para objetivos comuns. Obviamente, eles estão muito à frente do Brasil.
      A velhice é igual para todos, mas os homossexuais sofrem duplo preconceito, inclusive dos gays mais jovens e isso não mudará da noite para o dia
      Assim, a fila anda…..
      abraços
      Regis

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: