Gays maduros e as relações conjugays

As relações conjugais entre parceiros geram polêmicas e surpresas, pois há indícios sobre a construção de uma nova instituição familiar – famílias gays.

O reconhecimento jurídico de união homoafetiva entre parceiros e os direitos civis criam novas perspectivas para todos nós.
Se pensarmos em casamento, hoje o que une as pessoas não é mais o dinheiro e sim o afeto e o sexo. Assim o afeto, a atração sexual e o prazer é base na qual se estrutura os matrimônios modernos.

Os gays maduros tendem para as relações estáveis porque na verdade querem uma relação muito próxima dos relacionamentos heterossexuais ou querem viver em ambientes heterossexuais porque chegaram num nível sócio-econômico que não é mais concebível que se viva nos guetos.

A maturidade é um período de consolidação de tudo aquilo que sempre desejamos na vida. Primeiro a carreira profissional, depois a estabilidade financeira e por último uma companhia para compartilhar a vida, preferencialmente, com envolvimento afetivo e sexual.

As relações entre gays têm todos os ingredientes das relações heterossexuais: Fidelidade, amor, carinho, violência, monogamia, traição, relação aberta, ciúmes, etc. – tudo menos filhos, mas isso está mudando e os casais gays já batalham na justiça por adoção de crianças.
Nós não admitimos, mas agimos de forma a querer constituir uma família gay.
Também, os gays que viveram relações estáveis e que perderam os parceiros por morte estão indo à justiça para reivindicar pensão.

Eu já escrevi aqui no blog sobre o direito à cama de casal nos hotéis, porque no meu subconsciente existe o desejo de estar na cama ao lado do meu parceiro, como se nós fossemos marido e mulher, ou melhor, marido e marido.

Na maturidade nos posicionamos na sociedade de uma forma diferente, não queremos ser discriminados ou usados e nos policiamos quanto aos nossos trejeitos para não haver denúncia pública da homossexualidade. Comportamo-nos como homem porque esse é o nosso gênero.
Outra coisa interessante é a rapidez como os gays maduros procuram firmar o vínculo conjugal. Entre conhecer um parceiro para sexo e se firmar na relação muitas vezes não demora nem três meses e as relações se estabelecem sem muitas formalidades. Isso denota uma urgência de viver uma relação amorosa e sexual como se a vida fosse terminar amanhã.

O fato é que, em muitos casos, esses gays maduros, de uma condição de solteiro passam rapidamente para a condição de namoro e quando menos se espera já estão na condição de casado e não tem nem tempo de amadurecer a relação com as regras, acordos, metas e sentimentos.

Outra situação vem com a seguinte frase: “Não teve tesão, então não haverá relacionamento” – Mas nem só de sexo e tesão vivem os parceiros, principalmente na maturidade. Eles esperam segurança existencial, reconhecimento, confiança, reciprocidade e amizade.

É isso ai…..bom final de semana pra você.

Anúncios

Sobre Regis

58 anos de idade, residente na cidade de São Paulo

Publicado em 19/11/2010, em Comportamento, Relacionamento, Sexualidade, Sociedade e marcado como , . Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: