Conhecendo a sexualidade humana

Alfred Kinsey gerou muita polêmica com os seus estudos sobre a sexualidade e mesmo assim é considerado por muitos como o pai da sexologia.
Os gays também devem a ele as primeiras conquistas na área da psiquiatria com a remoção da homossexualidade da lista de desordens mentais, pela Associação Americana de Psiquiatria.

Eu sou fã do Kinsey porque sei que a sociedade moderna evoluiu nas questões da sexualidade graças aos seus estudos – até aulas de higiene dos órgãos sexuais ele ministrou. Os porquinhos de plantão deveriam saber mais sobre isso!

Kinsey era bissexual e dedicou a sua vida em pesquisas para tentar entender a sua própria sexualidade.
O mais interessante nos estudos é que ele concluiu que a sexualidade não é classificada apenas em duas categorias, heterossexual e homossexual, mas em diferentes graus dentro dessas categorias:

1.heterossexual exclusivo;
2.heterossexual ocasionalmente homossexual;
3.heterossexual mais do que ocasionalmente homossexual;
4.igualmente heterossexual e homossexual, também chamado de bissexual;
5.homossexual mais do que ocasionalmente heterossexual;
6.homossexual ocasionalmente heterossexual;
7.homossexual exclusivo;
8.indiferente sexualmente

Há uma vasta biblioteca sobre a obra de Alfred Kinsey e a sua vida foi apresentada no filme Kinsey, vamos falar de sexo em 2004.
Eu recomendo a leitura da matéria da revista SUPERINTERESSANTE em 2005, que está num dos links a seguir:

Links:
# Revista Superinteressante
# Wikipedia
# Kinsey Institute
# Kinsey Institute Gallery

Anúncios

Sobre Regis

57 anos de idade, residente na cidade de São Paulo

Publicado em 07/07/2010, em Personalidade, Sexo, Sexualidade e marcado como . Adicione o link aos favoritos. 2 Comentários.

  1. Interessante é que alguns dos achados de Kinsey depois se confirmaram empiricamente. Por exemplo, em seu livro sobre a sexualidade feminina os resultados indicavam que pelo menos um terço das mulheres transaram com outro homem enquanto casadas. Li em algum lugar que na Inglaterra, estudos de paternidade mostraram que por volta de um terço das pessoas são filhas de homens diferentes dos esposos de suas mães.

    Nesta coisa da gradação da preferência sexual podemos pensar em um gradiente de 1 a 8, quer dizer, você pode estar entre, digamos, graus 4 e cinco. No entanto, pensando em minha própria, e já longa vida, tenho variado do grau 2 a 6. Quando criança acho que me comportava próximo a 6, minhas atividades sexuais, meio precoces, eram quase sempre com meninos. Na adolescência eu só pensava em meninas e andava atrás delas, mas de vez em quando tinha fantasias homo. Adulto continuei no grau 2, depois fui passando aos poucos e hoje estou homossexual, apenas as vezes tenho sexo hetero com minha mulher.

    Não sei por que variamos. Imagino que algumas pessoas estão desde sempre nos graus extremos. Talvez a maioria, pelo menos dos homens, vão de 2 a 7 em diferentes momentos da vida. Acho que tres coisas me fizeram “progredir” na escala.

    A primeira foi aceitar a homossexualidade em minha vida, assumir que gosto muito de sexo com homens.

    Outra foi a condição masculina, aquela que gosta de variedade sexual. Sendo casado, ir para a cama com outras mulheres é, quase, sempre visto como traição pelas esposas. E as “outras” em geral tem a esperança que no final fiquemos com elas. Como sempre gostei de minha mulher e nunca quis separar-me, sair com outras mulheres sempre foi um problema. Já quando com homens, mesmo travestis, a “culpa”é menor. E se a esposa aceita sua homossexualidade, então você fica um pouco mais livre. Além disto, os homens não costumam “pegar no pé”. Não que, com frequência, alguns me digam que me querem para algo mais que sexo. Mas, pelo menos até agora, nenhum fez cena ou criou maiores problemas. Parece que os homossexuais exclusivos e passivos algumas vezes se comportam como a mulheres e passam a querer, exigir, cobrar algo mais. Como sou somente passivo, acho que escapo…

    Uma outra coisa veio da idade. Não apenas fui querendo como que compensar o muito tempo que estive nos graus 3 e 4, cada vez me encantou mais estar com homens. Acho que tem um aprendizado e uma liberação para conseguirmos usufruir do sexo com homem. Sexo com mulher é algo maravilhoso, mas com homem é completamente distinto. Como eu também fui ficando aos poucos meio impotente, sendo passivo não precisei deixar de ter atividade sexual. O prazer que aprendi a ter hoje em dia é de tal monta que se, por acaso, me visse na condição de ser só homossexual, não me importaria. Não sou um 7 apenas por que continuo apreciando mulheres, seus corpos e odores…

  1. Pingback: Os gays e bissexuais viúvos | Grisalhos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: