Publicado em Mercado de trabalho, Negócios, Sexo

O coroa de programa

É isso mesmo! Homens gays maduros e até idosos estão cobrando para fazer sexo.

Ouvi essa história de um amigo e nem acreditei, mas imaginar que “michê” é coisa de garoto ou adolescente é uma conclusão um tanto antiquada.
Este novo cenário na cena gay de São Paulo e de tantas outras cidades do Brasil é conseqüência da situação sócio econômica da população em geral e que também afetam os gays, principalmente, os desempregados, usuários de drogas e aposentados.

O mundo moderno é capitalismo puro. Tempo é dinheiro e isso também existe no mundo gay.

Coroas de programa são aqueles que um dia foram garotos de programa e não conseguiram se estabelecer na vida e continuam até hoje na profissão – Essa afirmação nem sempre é verdadeira, continue lendo este post…

Meu amigo me contou que abordou um coroa na avenida Paulista e o cara nem era tão gostosão assim, mas se surpreendeu ao ouvir o pedido de R$ 100,00 para fazer o programa. Pagou e teve o coroa por 3 horas e com direito de escolha para todas as coisas que ele desejava fazer.

Curioso ele perguntou ao coroa porque ele cobrava para fazer sexo e ouviu uma resposta interessante:
Cobro porque preciso me manter e apenas descobri que poderia ganhar dinheiro com sexo depois que fiquei desempregado e com muitas contas para pagar. Hoje aos 58 anos não tenho mais oportunidades de trabalho e cobrar por sexo foi a única alternativa que encontrei para sobreviver.

Descobri também que muitos jovens e executivos gostam de gays mais velhos e aproveitei a oportunidade para ganhar dinheiro.

Moral da história: este coroa fatura uma média mensal de R$ 2.500,00, apenas com sexo e ele nem freqüenta saunas ou boates porque nesses locais todos os gays acreditam que é o sexo pelo sexo e que tem que ser gratuito, apenas pelo tesão.
Ele fatura essa grana apenas circulando por avenidas e praças da cidade e dando atenção a todas as cantadas que recebe. Tem até agenda fixa com alguns clientes durante o mês.

Um deles ficou tão apaixonado que ajuda no pagamento do aluguel do apartamento no valor de R$700,00 – é o que o coroa chama de ajuda de custo.

Mais interessante ainda é que o homem nem tem acesso à Internet – faz um corpo a corpo diário se permitindo ser cantado e muito desembaraçado vai logo dizendo que cobra para fazer sexo. Também, deixa claro aos clientes que devem arcar com as despesas de preservativos, hotéis ou motéis e se for à noite muitas vezes ele cobra até o jantar.

Nem sei se esse assunto é polêmico ou não, mas eu achei interessante.

Por favor não me escreva para pedir o telefone do coroa, pois nem me dei ao trabalho de ser tão curioso com o meu amigo.

Quer escrever ou participar, então comente esta situação.

Anúncios
Publicado em Religião, Sexo, Sociedade

Mais sobre padres gays

O senhor aparentemente bonzinho e inofensivo da foto é o cardeal Agostino Vallini de Roma. Ontem ele pediu publicamente para os padres gays saírem do armário e deixarem a batina.

Atitudes desesperadas e inconseqüentes como essa demonstram claramente a falta de coerência e a homofobia da minoria de dirigentes heterossexuais da igreja católica.

Se todos os padres gays saírem do armário ou deixarem a batina, a igreja católica deixará de existir como instituição religiosa e assim talvez se confirme o terceiro segredo de Fátima – A ruína da igreja.

Eu acho que a única instituição que tem maioria gay é justamente a igreja católica. Nem faço idéia do percentual, mas talvez seja mais de 60%, frente à uma minoria em torno de 10% da população em geral.

Esse cardeal disse ainda que os gays nunca deveriam virar padres, mas ele se esquece dos bispos, arcebispos e cardeais gays dominantes e influentes na igreja ao longo dos séculos, da submissão, da pedofilia e dos abusos sexuais contra os próprios seminaristas.
A igreja católica sempre foi patriarcal e sempre impôs a imagem enrustida da dominação masculina e a submissão feminina.

Tanta hipocrisia perante a mídia mundial para esconder as suas próprias culpas que estão enraizadas nos seus dogmas, pois a igreja sempre aceitou os gays entregues por famílias patriarcais tradicionais para esconder da sociedade os seus filhos homossexuais e isso tudo também em troca de dotes.

igreja católica é um grande hospício que abriga todas as riquezas e loucuras do mundo, os pesadelos mais medonhos e as mentes mais perversas da humanidade.

Já não está na hora de mudar e sair do obscurantismo, dos tempos negros e sem esperança da Idade Média?

Publicado em Diversão, Qualidade de Vida, Turismo

Um final de semana gay

O final de semana seria ou não seria bom? A metereologia previa tempo nublado e chuva no sudeste, principalmente, no litoral, além de queda da temperatura.

Sábado pela manhã sai de São Paulo fui até Jundiaí, peguei o meu companheiro e de lá seguimos pelo rodoanel sul rumo ao litoral. No trajeto havia muita neblina e o tempo estava feio, mesmo quando chegamos na baixada santista o tempo estava nublado – tinha tudo para ser um final de semana ruim, mas não foi.

Chegamos e circulamos na orla da praia, aí fomos almoçar no meu point favorito: o Qi-Buteco na praia do Itararé em São Vicente, mas foi mais uma vez o Ilha Porchat Hotel que me fez sentir em casa.

Fizemos o check-in às 13h e havia apenas um apartamento disponível para casal e a recepcionista foi logo avisando: tem apenas uma vaga, mas eu tenho certeza que vocês vão adorar.

Para nossa surpresa quando entramos no apartamento, lá estava uma enorme cama de casal, com espelho na parede lateral à nossa espera. As roupas muito bem limpas e com aquela vista maravilhosa da piscina, do mar e das praias de São Vicente com a antiga ponte pênsil ao longe. Realmente deu pra sentir-se em casa com tanta cortesia e atenção da recepcionista. Isso é que é friendly! e o final de semana se transformou em super gay.

Eu sei que muitos gays freqüentam o hotel, mas o bacana nessa história é que nós não precisamos pedir ou se expor, parece que ela leu nossos pensamentos. Isso é muito importante na relação cliente e fornecedor, tanto que ontem eu nem queria sair da cama de tão bem que eu estava, mas o dia estava melhor ainda e descemos para comer os famosos pastéis do Qi-buteco e outras gratas surpresas aconteceram.

Encontrei velhos conhecidos de São Paulo e um verdadeiro amigo, o Nelson dos tempos quando eu ainda circulava pelas noites e pelas paradas gays da cidade de São Paulo. Tudo foi perfeito!

É muito bom observar a vida gay por todos os ângulos, pessoas flertando, sorrindo, bebendo se beijando e tudo isso sem homofobia.

Ah! o tempo melhorou no sábado à tarde e à noite, ontem o céu esteve azul e sem nuvens, com a temperatura beirando os 30 graus.

Do final de semana deixo para vocês as duas dicas:

> Qi-Buteco – local de freqüência gay, muita descontração e educação dos donos Laerte e Anderson, além de boa comida, um pastel maravilhoso e as bebidas ao gosto do cliente.

>> Ilha Porchat Hotel – não é nenhum cinco estrelas, mas é muito aconchegante e agradável

Publicado em Religião, Sexo

Padres em festa gay em Roma

Três padres católicos foram denunciados por manter relações homossexuais e filmados em locais gays em Roma, em festas com garotos de programa e durante encontros sexuais com parceiros ocasionais

Fontes do Vaticano disseram que a reportagem sobre a vida dupla dos três padres homossexuais em Roma, publicada pelo semanário italiano Panorama, “é puro sensacionalismo”.

As reportagens investigativas tupiniquins envolvendo padres também chegaram à Roma.
Este início de década não está nada fácil para a Igreja Católica., hein!!

Publicado em Qualidade de Vida, Saúde

Gays otimistas e o sistema imunológico

Gays otimistas tem menos propensão a doenças e tudo isso por conta do nosso sistema imunológico.

Uma frase muito interessante ilustra tudo isso:

“Veja o mundo mais cor-de-rosa e aumente sua imunidade” – nada mais tão gay não é mesmo?

Tanto o otimismo como o pessimismo tem relação com o sistema imunológico de qualquer pessoa,mas para nós há problemas diários desde uma humilhação, a homofobia interiorizada, a discriminação social, a falta de dinheiro ou a falta de perspectivas de uma vida melhor.
Alguns especialistas informam que até o sexo é um fator que gera otimismo, a falta dele gera efeitos colaterais e o corpo somatiza os efeitos causando doenças físicas ou psicológicas.

No mundo gay ( bar, baladas, boates e saunas ) é freqüente o pessimismo por conta de todos os problemas que tão bem conhecemos e que ocultamos para nos proteger. Também, muitas vezes externamos uma falsa alegria, onde tentamos nos enganar e fugir da realidade. Você já ouviu falar que o mundo gay é um grande teatro onde cada um está sempre representando personagens exagerados, alegres, loucos, divertidos.etc., mas na hora do “vamos ver” estamos sozinhos.

Você quer saber como medir o seu otimismo?

Basta mensurar o tamanho do efeito na sua vida física. Se você passou um ano sem apresentar sintomas físicos, desde uma simples gripe até doenças mais graves é sinal que você teve um ano otimista e o sistema imunológico esteve bem.

Emoções positivas tem responsabilidade direta no otimismo e conseqüentemente sobre a imunidade.
Os gays maduros e idosos, cujo sistema imunológico geralmente está mais frágil e vulnerável a infecções precisam trabalhar mais a questão do otimismo para manter seu organismo mais saudável. Isso também traz qualidade de vida.

Eu não sou psicólogo, mas já tive respostas positivas a estímulos otimistas que melhoraram muito o meu sistema imunológico. Portanto, vá à luta e seja OTIMISTA!

Publicado em Diversão, Música, Turismo

Campos do Jordão Friendly

Campos do Jordão é sucesso nos meses de julho e agosto, por conta do seu já famoso e tradicional Festival de Inverno.
Além de muito entretenimento e música, o pessoal ferve bastante nos finais de semana e basta cair a temperatura para o congestionamento de carros e pessoas se fazer presente na cidade.

Para os gays mais endinheirados é comum a freqüência no bairro do Capivari. Executivos e homens maduros, amigos, companheiros e pares caminham pelas calçadas apertadas do bairro e também podem ser vistos aos montes nas lojas e restaurantes.

Na cidade tem a Pousada Raposa da Montanha, uma das mais antigas pousadas GLS do Brasil, com preços razoáveis e mais recentemente apareceu a Pousada 3 Pinheiros, além do Hotel Matsubara.

Por sem uma cidade que depende do turismo percebe-se uma leve tolerância aos turistas GLS, mesmo os mais fervidos.

Para namorar e ficar de bem com a vida eu recomendo um jantar no restaurante La Gália.