Arquivo mensal: maio 2010

Gays maduros e as artimanhas da sedução

A sedução é uma das principais armas do ser humano e no caso dos gays as artimanhas para seduzir parceiros vão desde um simples olhar até tramas mirabolantes, dignas de telenovelas e filmes de Hollywood.

O gay adquire experiência vivendo dentro do mundo gay. As experimentações de vários parceiros proporcionam uma coleção de jogos de prazer muito peculiar.
A principal artimanha é utilizar a própria idade como chamariz, porque idade é sinônimo de experiência, e nem sempre isso é verdade!
Eu classifico as artimanhas em três níveis distintos:

Artimanhas do nível 1:
1.Charme
2.Bom papo
3.Beleza Física
4.Paternidade
5.Estabilidade financeira
Artimanhas do nível 2
1.Comportamento passional
2.Solidão e melancolia
3.Prazer culposo
4.Indução por abandono ( se fazer de coitado )
5.Forte envolvimento emocional
Artimanhas do nível 3
1.Estados de embriaguez
2.Mostrar ou olhar o pênis em saunas e banheiros
3.Beijo na boca em bares e boates.
4.Indução para uso de drogas
5.Dinheiro por sexo

Existe uma infinidade de artimanhas, porque o gay maduro acima de tudo é muito criativo. Ele usa toda sua experiência de vida para jogar a sua rede e pescar o seu peixe.
Outra coisa que eu acho interessante: as artimanhas estão diretamente vinculadas ao local e ao ambiente.

Tente observar uma paquera gay e você perceberá que primeiro há a atração física, depois o contato e por fim o resultado, positivo ou negativo da paquera.
Esse resultado depende muito das artimanhas utilizadas no processo de conquista.
Os gays maduros devem se valorizar e utilizar as suas formas de conquista como armas para combater, principalmente, o preconceito.

Anúncios

Maridos gays no armário

Homens gays que namoram e se casam por imposição familiar ou social sempre existiram e ainda devem existir por muito tempo, mas aos poucos as coisas estão mudando.

Hoje é quase inconcebível que isso ainda aconteça, mas essa situação depende muito do próprio homem envolvido, sua aceitação, da família e seus valores sociais e morais.
Situações como essa gera infelicidade tanto para o homem quanto para a mulher, além dos filhos e dos familiares envolvidos.

Existem homens bissexuais que optam pelo casamento e vivem o seu lado gay numa relação aberta, mas a maioria ainda opta pela clandestinidade.

Li uma matéria no Mixbrasil que me fez dar muitas risadas, apesar de ser um tema sério onde me lembrei de situações inusitadas que vivenciei ao longo da minha vida.

Trata-se de um Guia Feminino que promete tirar do armários maridos gays.
O guia intitulado “Cuidado! Seu príncipe pode ser Cinderela” foi escrito por Consuelo Dieguez, da revista Piauí, e Ticiana Azevedo, ex-Jornal do Brasil.

As jornalistas colocaram no guia o estereótipo do marido gay e abusam do humor, para falar dos gays enrustidos.

Eu mesmo presenciei uma história dessas:
Odair era um amigo que em 1987 estava de casamento marcado com uma garota que ele namorava há oito anos.
Funcionário público, ele deu um duro danado para comprar um imóvel, mobiliar a casa e preparar os convites do casamento.

Sua família de origem italiana era muito rígida e o casamento era apenas uma questão de tempo.
Um dia o Odair apareceu lá em casa numa sexta-feira e foi dizendo:
Não vai mais ter casamento, vou largar tudo e vou viver a minha vida gay – disse e cumpriu o prometido.
Largou a noiva praticamente no altar da igreja a uma semana do casamento e jogou tudo pro alto e foi viver a sua vida gay e ser feliz.
Conheceu um parceiro e viveu com ele uns dois anos, até saber que era soropositivo para HIV. Morreu 6 anos depois, mas viveu intensamente a sua vida gay.

A vida é muito simples, nós complicamos demais as coisas.
Muitos gays para escapar do casamento optam por sair de suas cidades de origem, vão morar sozinhos e longe da família, buscam ascensão profissional para justificar o não casamento e tantos outros saem do país para viver plenamente a sua sexualidade. Isso tudo é uma situação de fuga, mas infelizmente não há outro jeito. Isso também aconteceu comigo. Saí de casa para morar sozinho e viver a minha vida sem esconder a minha sexualidade, também, não escancarei ela pro mundo!

Eu aceito todas as variantes possíveis para não haver frustração pessoal, porque a questão da homossexualidade é muito complexa e você é o único responsável por suas decisões – ninguém pode fazer isso por você!

>>> Leia sobre o guia

Boa semana a todos….

%d blogueiros gostam disto: