A utopia de ser um gay vencedor

Estudos indicam que os gays têm melhores condições sócio-econômicas do que os heterossexuais porque não constituem família e, conseqüentemente, consomem mais, estão na vanguarda da moda, são mais felizes e aproveitam melhor a vida – isso tudo parece fantástico, mas é utópico e imaginário.

Ao vencedor as batatas e ao vencido ódio ou compaixão.
Isso não se aplica ao gay porque se ele é o vencedor desperta ódio, se é vencido não fica nem com as batatas. Qual o sentido de uma luta se não há nem compaixão?

Hoje têm até literatura de auto-ajuda para o público gay, principalmente, quando o assunto é mercado de trabalho. Isso pode dar certo, mas não funciona na vida real. A homossexualidade é um fator que sempre segregou os profissionais e limitou carreiras profissionais.

Tem que ser muito forte, mas muito mesmo, para enfrentar os desafios diários, as pressões corporativas, discriminação, chacotas e piadinhas do cotidiano, além de muitos inimigos puxando o tapete a todo o momento.

Não existem fórmulas mágicas para o sucesso. Cada homem gay é o senhor do seu destino, as experiências de vida de um gay vencedor servem apenas ao vencedor e mais ninguém.
Quase não temos ídolos e nem nos espelhamos em personalidades gays. São poucos a quem temos como referência de sucesso.
Ainda ontem escrevi um texto para um correspondente sobre o que o homem gay deve fazer para ter uma vida mais digna e menos traumática.

Transformando a utopia em realidade:
Seja forte e não permita que ninguém entre na sua vida para atrapalhar;
Não se iluda com falsas promessas de vida feliz;
Sexo é bom, mas não é tudo;
Aproveite cada momento da vida;
Seja fiel aos seus princípios e não ceda às tentações de uma vida fácil;
Não se deixe corromper pela mídia e pelos políticos;
Não se deixe seduzir por cargos contrários aos seus princípios;
Tenha ideais e faça trabalho voluntário;
Para cada centavo que você ganhar, separe uma parte para o seu futuro;
Estude e entre para o seleto grupo de brasileiros que possui nível superior;
Seja disciplinado no seu trabalho;
Não pague para ter amigos;
Tenha objetivos bem definidos;
Valorize cada vitória e aprenda com as derrotas;
Acima de tudo – SEJA VOCE MESMO e aprenda a SE AMAR.

Ao gay jovem digo: Seja um revolucionário e não tenha medo dos desafios;
Ao gay maduro digo: Nunca é tarde para começar ou recomeçar;
Ao gay idoso digo: Você não terá uma segunda chance de viver esta vida.

Anúncios

Sobre Regis

57 anos de idade, residente na cidade de São Paulo

Publicado em 01/03/2010, em Mercado de trabalho, Opinião. Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: