Assumindo-se como um gay maduro

Mais difícil do que assumir-se como gay é se assumir como um gay maduro. Na juventude vivemos anos de pânico, achamos que o homossexualidade é um veneno que nos devora a cada dia, mas aos poucos percebemos que não é um bicho de sete cabeças e começamos a viver nossa sexualidade de uma forma mais amena – nem sempre isso é assim, pois depende muito da família e do local onde vivemos.

Ser um gay maduro é colocar em prática tudo o que aprendemos no decorrer da vida – das rejeições de amigos e familiares até frustrações de relacionamentos.

Minhas experiências de vida são muito interessantes: minha iniciação sexual começou muito cedo, por volta dos 12 anos – fui usado por um professor que queria que eu lhe masturbasse. – Hoje entendo que ele era pedófilo, além de ser casado, mas na curiosidade me envolvi e nem imaginava o que significava, mas eu era safadinho e queria mais.

Após sair do exército comecei a ter relacionamentos mais estáveis, um ano, dois, quatro, vinte e aqui estou eu com cinqüenta anos e muitas experiências vividas. Quando penso na minha vida concluo que eu tive muita sorte num período pós AIDS.

Hoje sei o que é assumir-se como gay maduro porque nesse conjunto de vivencias e relacionamentos eu cresci como ser humano. A idade ou a velhice não é tão cruel como eu imaginava e me sinto jovem na mente, mas o corpo já começa a apresentar sinais de desgaste

Eu já escrevi em outros artigos que precisamos consolidar nosso patrimônio e a nossa independência financeira para não ficarmos reféns de parentes e amigos.

Mais do que ter segurança é necessário trabalhar a cabeça para uma velhice sem traumas, eliminar os vícios do cigarro e do álcool, melhorar a qualidade de vida, ter alguns amigos verdadeiros, trabalhar a espiritualidade e se fixar num relacionamento estável. Obviamente nem sempre isso é possível, mas precisamos deixar de lado a busca pelo parceiro perfeito e belo e valorizar quem está ao nosso lado.

Meu companheiro me disse que quer fazer trabalho social com idosos e eu lhe perguntei por que não fazer trabalho com gay idoso? Na cabeça dele ficou um ponto de interrogação muito grande.

Minhas crenças me levam sempre a buscar os meus semelhantes, tanto para o convívio social como para a ajuda mútua. Se não nos ajudarmos seremos sempre inferiores numa sociedade hipócrita.

Aos gays bem sucedidos deixo uma mensagem: Não seja individualista e ajude os gays menos favorecidos, doentes ou carentes de amizades – É utópico, mas é um começo, assim como este novo ano.

Vivemos em castas sociais e a nossa sexualidade nos coloca numa dessas castas, portanto, se você pode ajudar um gay principalmente adulto e idoso faça a sua parte e você perceberá que está fazendo a diferença para um futuro melhor.

Isso é assumir-se como um gay maduro.

Anúncios

Sobre Regis

57 anos de idade, residente na cidade de São Paulo

Publicado em 03/01/2010, em Comportamento, Opinião, Qualidade de Vida, Sociedade. Adicione o link aos favoritos. 16 Comentários.

  1. Boa noite à todos… Aconselho à assistirem o filme ” ESTÃO TODOS BEM”, um filme com Robert De Niro o qual interpreta um heterossexual, pai de quatro filhos….
    Bom, não vou contar o filme, apenas peço que assistam e reflitam sobre a idade…

    Abraço à todos!!!

    Paullo

  2. Temos um projeto pequeno comunitário ao grisalho que tenha interesse. Hoje existe uma preocupação muito grande com o homem que há uma certa idade fica sozinho internado na solidão e no complexo de que não há mas interesse das pessoas e nem deles. Nosso projeto nada tem a ver com o preconceito ou direcionamento particular de cada um. Temos uma casa a beira mar em vera cruz / Itaparica – Bahia com 06 vagas para homens idosos que tenham vontade de viver comunitariamente, livremente , participando, convivendo, partilhando, interagindo, fazendo caminhadas a beira mar, exercitando-se, jogando cartas, diversões etç.
    Homens que sintam-se só , que sejam alegres, saudaveis que saibam ser irmão e possa conviver bem com todos em sua individualidade. Temos 08 quartos , boa varanda, espaço para carros na garagem e a finalidade seria companheiros que juntos iam se animar e animar a vida pessoal . Claro que iamos ter regras simples de convivência. A idéia é alimentar-se bem, cuidar da saúde, descansar, ser livre e amparado. Contato: gonluz12@hotmail.com

  3. Também tenho medo da velhice, não por vaidade, mas sim por ficar sozinho, gostaria muito de ter como dividir e aproveitar mais a vida, mas sozinho não é fácil, tem a história que diz que melhor só do que mal acompanhado, discordo um pouco, uma andorinha só não faz verão, preciso muito encontrar um parceiro urgente para acabar com essa monotonia, claro que alguém especial que realmente curta uma amizade de verdade.

  4. Me chamo Paullo, moro na zona sul de Sampa, tenho 40 anos de idade, e sinceramente não fico encucado com este lance de estar na fase dos maduros e que poderei ficar sozinho na velhice. Tive um único relacionamento que durou 17 anos, estou à procura de uma pessoa sim, mas não tenho frustações sobre coisas que não foram como pensei. Na minha concepção estes medos apenas atraem coisas negativas. Torno à perguntar: quantas pessoas heterossexuais casaram, contituiram familia e acabaram abandonadas num asilo ou uma definição menos assustadora “casa de repouso”. Lugar este que recebem visita 1 vez por mês, isto é, estou sendo generoso quanto às visitas. Muitas pessoas sequer recebem visitas dos filhos e netos. O que o gay maduro precisa mesmo é viver intensamente, amar, cultivar amizades, respeitar o seu próximo, a natureza, os animais. Se preparar para uma velhice mais tranquila, ter sua casa própria, sua aposentadoria, seu plano de saúde. Quantos maduros estão por aí querendo conhecer alguém especial para compartilhar momentos felizes, então vá a luta, seja feliz. A vida é um grande presente de Deus e temos que valorizá-la à cada instante.

    Abraço à todos!!!

    • adorei seu comentario amigo,tenho medo sim…mas penso nos meios que vc sitou para que minha velhice seje digna.bjs amnigo

  5. Alex não se preocupe, o blog é assim mesmo.
    O seu comentário não será deletado porque contribui com o conteúdo nos posts. Por aqui também praticamos a democracia.
    Obrigado pela participação

  6. Desculpa aí!
    Meu quase analfabetismo em matéria de informática, computadores e blogs me impediu de ver que a data do post não tinha nada a ver com a sequência deles.
    Melhor assim.
    Estarei aqui, acompanhando.
    Pode deletar meu comentário, por inoportuno e equivocado, pf.
    Abraços
    Alex

  7. Gostei do que li.
    Pena que talvez você tenha desistido do blog.
    São tão raras as vozes respeitáveis em nosso meio… Vc continuaria fazendo muita diferença.
    De qq forma, obrigado!

    • Alex eu não entendi seus comentários. Você escreveu que eu desisti do blog? Desisti não e o blog está cada dia mais “quente”. Publico uma média mensal de 15 posts ou 1 a cada dois dias, além de manter os contatos por e-mail e alguns trabalhos sociais com muitos gays que me procuram para trocar idéias. Estamos aí e acho que ainda por muito tempo!
      Abraços

  8. Gui, visitei seu blog e acho que voce desistiu da ideia. Não pare não e continue o trabalho que é muito legal.

    Abraços

  9. Adorei…acabei de criar algo do genero mas ainda é um bebe, mas passa lá no blog e dê sua opinião…adorei……..

  10. Robson Alves

    Tenho 24 anos e acho que cada um deve viver sem medo de tomar alguma decisão que não agrade a terceiros. Muitas vezes, deixamos de fazer certa coisa por causa do que os outros vão pensar e isso só coloca a gente pra trás. Não podemos viver da maneira como os outros querem que vivamos. O tempo passa…e cada vez que passa torna-se mais e mais tarde.
    Chega sempre uma hora que lembramos do passado e pensamos em como poderia ter sido se tivessemos tomado outra decisão…Não tema sua felicidade. Esqueça os outros, sem desrespeitá-los, mas não esqueça de você.

  11. Tenho 42 anos e o que me preocupa é pensar que posso terminar minha vida sem uma companhia. Gostaria de manter contatos com homosexuais maduros.Já enfrento a solidão e a angustia de não me assumir como homosexual. E isso dificulta a busca por relacionamentos, até mesmos de pessoas amigas. Quanto a esse assunto sou discreto e até rigido comigo mesmo, me isolando; quero fazer amigos.

    • Herlan Quevedo

      Estou nessa faixa ja enfrentando os 49, sou casado y no asumido socialmente, e me preocupa como a você os anos que vem pela frente, sera que vou ficar sozinho?. Gostaria de me corresponder contigo atraves do email, poderiamos intercambiar sobre o tema e curtir una boa amizade, temos muito en comun, Um abraço

      • Herlan, após sete meses consegui responder aos muitos comentários aqui no blog. Da próxima vez deixe o e-mail para contatos.

    • ola amigo.gostaria muito de comunicar c vc…e tornar nos gdes amigos,abçs

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: