Arquivos do Blog

Eu nunca vi um casal gay idoso

casal_gay_idoso_spOutro dia por curiosidade, eu entrei num grupo de discussão do Fórum de Jogos do UOL. Esse fórum tem a participação de adolescentes, a maioria entre doze e quinze anos de idade e predominam garotos.

Nos tópicos dos assuntos tem de tudo um pouco. A maioria posta dúvidas sobre os games e alguns colocam perguntas ou dúvidas sobre qualquer coisa. Veja o que eu achei:

Pergunta:

Eu nunca vi um casal gay idoso. O que acontece com eles quando chega nessa idade?

Eis as respostas:

  • Devem virar purpurina, porque eu também nunca vi;
  • Começa com A e termina com O – ASILO;
  • Começa com A e termina com S -  AIDS
  • Eles morrem. Homosexualismo (sic) é uma doença crônica e degenerativa – Resposta de uma garota, Kraise-II;
  • Acho que eles criam vergonha na cara;
  • Você certamente nunca passou pela Farme de Amoedo no RJ, num dia de carnaval;
  • Véio não pode ter frescura;
  • Tomam vergonha na cara e se separam. Depois de um tempo ficam nos bares atrás de carne nova;
  • Até uns sessenta anos eu vi, depois de oitenta nunca vi;
  • Morreram de AIDS;
  • Só digo uma coisa, nem queira ver porque é muito feio;
  • Gay velho é coisa do século XX;

Essas respostas mostram a visão real do mundo desses garotos, o que eles pensam sobre velhice e homossexualidade, além de fortes evidências do preconceito nas respostas.

No fim da página deste fórum eu encontrei uma resposta que me surpreendeu. A resposta foi publicada com o pseudônimo de AUREN.

AIDS né!, Durante os anos 70/80, a população gay foi dizimada em centros urbanos. Imagina que todo mundo do seu bairro, só do seu bairro, começa a morrer e você não sabe por que, nem como tratar. Toda a sua comunidade morrendo e do nada, foi por isso que eles passaram.

Imagina o pânico, de que num domingo qualquer você pode pegar uma gripe e na sexta-feira você tá na UTI em estado terminal. Imagina acontecer com a pessoa que você mais ama, acontecer com o seu irmão, sua mãe ou seu tio. Também imagina dizer que você é gay e ser desde humilhado até morto, simplesmente porque você falou duas palavras. Aconteceu isso com eles.  Por isso é que eles não existem mais.

Conclusão:

Para esses adolescentes não existem gays idosos, porque a AIDS matou todos eles. No contexto geral também se percebe uma visão  realista da velhice e a relação com asilos. Um dos participantes mais esperto, sabe que a Farme de Amoedo no Rio de Janeiro é ponto de encontro dos gays, principalmente, idosos. A maioria das respostas são sarcásticas e jocosas e mostram o preconceito arraigado desde a infância e a adolescência.

O último depoimento é mais sensível. Mesmo creditando o desaparecimento de casais gays idosos em decorrência da AIDS, a narração é quase uma ficção cientifica, própria dos games. O garoto escreve sobre sexualidade de uma forma mais humana. A homofobia e morte dos gays por declararem sua homossexualidade, a percepção que dentro de qualquer família pode existir gays e a triste constatação de que os gays idosos são mesmo invisíveis, por isso não existem mais.

Nota: a imagem que ilustra este post foi publicada no fórum e está numa das respostas e sem texto.

A homofobia internalizada contra gays idosos

homofobia_internalizada_gay_idosoQuando se fala em homofobia, logo vem à mente a violência sofrida por jovens gays, porque é isso o que vemos todos os dias nos noticiários e jornais de todo o país.

A Homofobia, termo derivado da abordagem psicológica, é definida como a aversão ou rejeição de homossexuais e da homossexualidade; sob essa designação, além dos homossexuais, também estão incluídos os bissexuais, travestis e transexuais.

A homofobia afeta os gays nas esferas da discriminação e do preconceito. O preconceito pertence à esfera da psique e a discriminação à esfera social.

A discriminação contra os gays sempre existiu e está longe de acabar. Hoje a homofobia atinge os gays de todas as idades, inclusive, as pessoas da terceira idade com mais de sessenta e cinco anos.

No Brasil, este assunto praticamente não existe e não existem estudos sobre as formas como acontecem os ataques homofóbicos contra os gays idosos.

Há que se considerar a homofobia praticada, inclusive, e, principalmente, no próprio meio gay. É a homofobia internalizada.

Diante das frustrações pessoais o indivíduo gay procura culpados da situação que lhe causa mal-estar, elegendo certos indivíduos; O gay em conflito interno tenta solucioná-lo projetando-o, total ou parcialmente, em determinados indivíduos destinando-lhes tratamento desfavorável, chegando à violência física, que pode culminar com a morte.

Um amigo frequentador de points em São Paulo me disse que o preconceito e a discriminação ocorre bastante no meio gay e são praticados por homossexuais jovens que não gostam dos mais velhos porque “velho” está fora do padrão da cultura gay – Como se idosos não pudessem ser gays.

Sabedor dos riscos de homofobia interna e externa, o gay idoso prefere ficar trançadinho no armário e vive uma vida reclusa e solitária. Talvez você discorde dessa afirmação, mas pense de uma forma mais ampla, sem se restringir a você e ao seu mundo.

Na terceira idade o grupo das travestis é o que mais sofre com a homofobia. Outro grupo é os bissexuais. Sim, eles são discriminados no meio gay porque são idosos, a maioria foi casado e ficou viúvo. Os jovens gays chamam esse grupo de velhos safados. Os gays idosos efeminados sofrem duplo preconceito, interno e externo. Já os masculinizados circulam com cautela e discrição. A homofobia dentro do meio gay é mais psicológica do que física, exceto casos pontuais de crimes motivados por dinheiro. Os jovens gays intimidam os mais velhos, excluindo-os do meio e ai o silêncio prevalece.

E eu lá em 1980 pensava que em 2010, a liberdade dos gays seria ampla e irrestrita. Hoje fico triste com a constatação sobre os homossexuais idosos que combateram as primeiras batalhas pela igualdade desde a época da ditadura brasileira e que hoje enfrentam tanto medo de discriminação, intimidação e abuso que muitos estão escondendo suas vidas para sobreviver. Os americanos chamam essa situação de Coming Out – Coming In. Sair do armário e voltar ao armário.

Uma frase resume toda essa situação vivenciada por gays e bissexuais idosos:

Querido, para não sofrer homofobia o melhor é envelhecer em silêncio.

Leia também:

Se você não viu, não deixe de ver o documentário a seguir:

<p><a >

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 248 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: