Toda nudez será vigiada

Com a Internet, os gays descobriram maneiras de socialização virtual, através das salas de CHAT e WEBCAM. O serviço de comunicação da Microsoft – MSN é bastante utilizado.

No anonimato por traz de um PC, milhares de gays de todas as partes do mundo se comunicam, flertam, paqueram, marcam encontros reais e fazem sexo virtual.

O que a maioria, senão, a quase totalidade não sabe é que as suas ações via Webcam são vigiadas e já existem registros de extorsões por parte dos invasores, inclusive, no Brasil.

Os hackers de webcam existem e se proliferam rapidamente pela rede mundial de computadores. Eles invadem o seu computador, laptop ou tablet e com uma câmara acompanham tudo o que acontece entre os interlocutores. Basta hackear apenas um dos pontos para ter acesso às imagens da câmara em tempo real.

A invasão de um computador é muito simples, basta descobrir o IP – Endereço da máquina na rede, para ter o controle do computador invadido e sem que o dono perceba.

Durante mais de doze anos eu tenho acesso à Internet e sei que os gays tem grande tesão por masturbação via webcam.  Quando o assunto é sexo você pode imaginar que existe de tudo.

A maior parte dessa população não mostra o rosto e exibe as partes intimas sem nenhum constrangimento. Existem gays que beijam a tela da câmara para demonstrar romantismo, enquanto outros fazem movimentos com a língua simulando um ato de felação. O exibicionismo é a marca registrada desse universo.

O pior de tudo é que isso vicia e o usuário nem percebe os exageros nessas interações. Alguns chegam ao extremo de possuir listas de contatos para sexo virtual diário. Eu tenho notícias de gays que se masturbam várias vezes ao dia. No sexo virtual a fidelidade não existe e a interação com mais de um parceiro é comum.

Na Internet existem alguns serviços que oferecem chat ao vivo com webcam – Manhunt, Older4Me, Gay Chat Roulette, entre outros.

A câmara serve ao propósito dos gays na busca por sexo anônimo e sorrateiramente os hackers invadem a sua vida e a sua privacidade. Portanto, toda nudez não será vigiada, toda nudez já é vigiada.

A única forma de prevenção contra essas invasões é manter o seu computador sempre atualizado com um antivírus e um software de firewall, para proteção contra invasores.

É isso ai. Todo cuidado é pouco.

Leia outros artigos relacionados:

>> Gays maduros e o FAKE da Internet

>>>A sexualidade virtual dos gays maduros

O admirável mundo novo dos gays

O fenômeno da globalização fragmenta o sujeito, trazendo consigo uma disseminação bastante rápida de maneiras de ser.

Não importa se você é barbie, mona, bofe, bear ou coroa, também  não importa se você é ativo, passivo, versátil ou bissexual.

Tudo está pulverizado em instâncias imperceptíveis, alocando, deslocando e recolocando sujeitos em “escaninhos” identitários, o que na cultura tradicional seria impensável.

Nós estamos vivendo num mundo de rapidez de informações multilaterais, descentralizando o sujeito, logo sou brasileiro, sou homossexual, aliás, o que sou primeiro?

Fragmentados nos tornamos seres invisíveis neste mundo. O gay é um sujeito e como tal está dentro do escaninho de identidade, logo, ele é apenas mais um pulverizado e imperceptível. Então o que sou primeiro? Brasileiro, homossexual, homem maduro, ativo ou passivo?

Por estarmos fragmentados o isolamento é maior e no mundo globalizado ficamos reféns da integração política, econômica, social e cultural que são os pilares que sustentam os conceitos da globalização desde o final do século XX.

Há que se considerar as tecnologias que proporcionam rapidez da informação. Os países não têm mais fronteiras e o mundo é uma aldeia global.

Preste atenção ao seu redor e você perceberá as tecnologias ao seu alcance, mas essas mesmas tecnologias, te aproximam e te afastam das pessoas.

No mundo virtual você tem dezenas de amigos, nos Orkut e Facebook da vida, mas no mundo real você está dentro de uma gaveta isolado e sozinho. Se já era difícil socializar com outros gays, na globalização ficou quase impossível porque você é absorvido por tudo e nem se dá conta como as coisas acontecem rápido demais.

A globalização te obriga a viver em “gavetas”, não confundir com “armário” e assim somos consumidos como seres humanos pensantes, livres e independentes. Os gays ainda pensam que a cada dia estão mais livres, com direitos e sob a proteção de leis contra a discriminação!

 Admirável Mundo Novo, a obra de ficção de Aldous Huxley publicada em 1932 narra um hipotético futuro onde as pessoas são pré-condicionadas biologicamente e condicionadas psicologicamente a viverem em harmonia com as leis e regras sociais, dentro de uma sociedade organizada por castas. A sociedade desse “futuro” criado por Huxley não possui a ética religiosa e valores morais que ainda regem a sociedade atual. Qualquer dúvida e insegurança dos cidadãos era dissipada com o consumo da droga, sem efeitos colaterais chamada “soma”. As crianças têm educação sexual desde os mais tenros anos da vida. O conceito de família também não existe.

Mera ficção?

 Créditos:

- A imagem que ilustra este poste é de autoria do artista israelense Raphael Perez – The Kiss – 2005.

-  Texto de Admirável Mundo Novo extraído do Wikipedia.

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 273 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: