Filme: Não gosto dos meninos

Se você ainda não assistiu não perca esta oportunidade.

O curta-metragem “Não Gosto dos Meninos“, inspirado no projeto internacional “It Gets Better” é um filme de André Matarazzo e Gustavo Ferri.

Pois é, não demorou e ele já foi publicado na íntegra na internet e em HD.

O formato de curta metragem é bom, porque proporciona um alcance maior do que um filme de longa metragem nos cinemas.

Não Gosto dos Meninos tem se espalhado rapidamente pela Internet.

Eu espero que você possa assisti-lo, porque sim, ele ainda é necessário, inclusive, para os gays.

Saúde mental dos gays na velhice

 

Na velhice os transtornos mentais são frequentes, tanto entre os heterossexuais quanto entre os homossexuais.

Existem poucos estudos sobre o assunto, mas alguns psicólogos, psiquiatras começam a fazer estudos mais aprofundados sobre a saúde mental dos gays idosos do sexo masculino e feminino.

Os transtornos mentais mais frequentes entre os gays são:

  1. Transtorno depressivo maior;
  2. Transtorno de ansiedade generalizada;
  3. Transtorno distimico;
  4. Transtorno de agorafobia;
  5. Transtorno obsessivo-compulsivo;
  6. Dependência de álcool e drogas.

Distímico significa depressão crônica ou falta de prazer. O distímico só enxerga o lado negativo  das coisas.

Agorafobia é o medo de estar em espaços abertos e em meio à multidão.

Por incrível que pareça a procura por tratamento da saúde mental é mais frequente entre os gays do que entre os heteros.

Os gays ainda encontram muita dificuldade quanto precisam procurar tratamento porque em geral tem vergonha de falar sobre a sua orientação sexual.

Os estudos sobre saúde mental dos gays esbarram na orientação sexual, porque sempre existirão aqueles que revelarão parcialmente a homossexualidade ou a omitirão por vergonha ou porque já tiveram experiências de discriminação.

Os gays com grau de instrução mais elevado tem uma qualidade de vida melhor na terceira idade em comparação aos heterossexuais.

Também, não dá para generalizar porque as classes sociais são distintas e nenhum estudo consegue determinar a prevalência genérica dos transtornos mentais na população gay.

Ainda, existem gays na terceira idade que não apresentam nenhum sintoma de transtornos mentais e esses são felizes e levam a vida numa boa.

Este artigo tem a finalidade de trazer algumas informações sobre o assunto e eu não quero polemizar até porque não sou especialista no assunto e o que eu escrevi foi embasado em alguns tópicos de trabalhos acadêmicos de psicólogos e psiquiatras.

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 283 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: