O gay idoso e o sexo: um binômio crítico

O gay idoso: Conceito e preconceito:
Michaelis define o idoso como quem “tem muitos anos; velho, senil.”
Gay é uma palavra oriunda da língua inglesa: é adjetivo de “alegre” e como substantivo “homossexual”.
Então teríamos a definição:
Gay idoso = um velho, senil, alegre e homossexual.

Não há nenhuma razão para dizer que o gay idoso tem orientação sexual errada, que é uma aberração, safado ou maricas, isso também não quer dizer que ele é alegre pois a grande maioria não é.
O preconceito ocorre propriamente por causa da idade. A sociedade em geral discrimina o idoso e não apenas o gay. O homossexual é alvo de críticas quanto ao seu modo de agir e viver e críticas bem atuais não? Todos os segmentos da sociedade disparam críticas que tem origem na família, na igreja, nas comunidades e vizinhanças e por ai vai.

Na verdade mesmo com tanto preconceito o idoso foi capaz de manter sua honra e a cultura, não comprometeu o futuro do mundo e nem se tornou pior. Ao contrário, melhorou. E muito. Hoje há cada vez mais idosos gays inseridos nos contextos sociais e ainda brilhando nas mais diversas áreas como: políticas, profissionais e acadêmicas.

O fator sexo:
Desde os primórdios, o homem tem uma relação com o seu corpo e o seu prazer individual. Todos os seres humanos se irmanam pelo cheiro e pelo tato.

Com essas afinidades as relações humanas se tornam singulares e na união de corpos humanos que se tocam e se identificam com uma “química indescritível”, o sexo é apenas o complemento da união e da relação entre dois seres – e aí independe se os seres são ou não do mesmo sexo.

Na velhice o sexo é apenas uma sombra dos tempos dourados da juventude e da maturidade. Já não existem realizações a longo prazo ou desejos incontrolados, tesão ou loucura. O idoso gay é um homem experiente e quer amor, carinho, afeto e atenção, além do sexo.

Sem a valorização e o respeito ao gay idoso e suas necessidades pessoais complementadas pelo sexo, tudo se torna inócuo, pois sem este primeiro fator, não há porque falar em binômio!

About these ads

Publicado em 14/10/2009, em Comportamento, Cultura, Protesto. Adicione o link aos favoritos. 3 Comentários.

  1. Andrey Roosewelt Chagas Lemos

    Penso que o gay, independente da faixa etária deve ser respeitado, e que se a Constituição Federal garante o direito igual para todos, devemos construir os mecanismos que possam garantir os direitos civis de homens e mulheres, homossexuais, gays, lésbicas, bissexuais, trevestis e transexuais sejam jovens ou idosos,e mais que isso, promover campanhas de respeito às diversidades e de combate às intolerâncias. Merecemos um país justo e democrático, uma sociedade de justiça e igualdade.

  2. Tenho grandes amigos coroas. Não acredito que sejam somente gays. Acredito sim na bisexualidade.

  3. que lindo

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 249 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: